EMPREENDER EM PORTUGAL: SAÚDE E TELEMEDICINA

Pensar em qualidade de vida nos remete quase sempre à segurança, sistema de saúde com bom acesso e qualidade, e ainda oportunidades de gerar renda. Escrevo frequentemente no blog da Atlantic Hub sobre empreender em Portugal, acredito que você já tenha lido algum dos meus artigos.

Sobre segurança, Portugal está entre os países mais seguros do mundo. Apenas por isso, já poderíamos definir como um bom lugar para morarmos, mas podemos ir muito além. Temos como basilar em nossas ações levar aos empresários brasileiros às oportunidades que temos de empreender em Portugal.

No segmento da saúde temos a possibilidade de empreender. Falaremos um pouco mais a frente sobre como este é um dos pontos mais interessante para quem quer morar em Portugal. Isso porque a saúde em Portugal está entre uma das melhores do mundo.

Dito isso, gostaria de percorrer com você algumas informações sobre esse segmento que representará nos próximos anos uma boa fatia do crescimento de novos negócios ao redor do mundo e em Portugal não será diferente.

Se você ficou interessado em como empreender em Portugal, leia o artigo “Como abrir uma empresa em Portugal”.

 

DIMENSÃO DO MERCADO DE SAÚDE EM PORTUGAL

Portugal tem atualmente perto dos 11 milhões de habitantes. Com estimativa de vida de mais de 80 anos para os homens e 84 para as mulheres, a tendência de envelhecimento da população apenas vem aumentando. Por isso, podemos já imaginar a importância do segmento de saúde na economia local.

Sempre dizemos na Atlantic Hub que Portugal é a porta de entrada para o continente europeu. Com cerca de 742 milhões de habitantes poucas regiões do mundo apresentam tanto essa característica de envelhecimento populacional como a Europa.

Vale então, a constatação que ao analisarmos os dados da população europeia facilmente podemos considerar que este cenário de Portugal se replica aos demais países da Europa com pequenos ajustes.

Em Portugal, a saúde é coordenada por um sistema nacional que também é financiada pelos impostos. Em sua grande maioria os hospitais são privados. O acesso a este sistema não é gratuito, mas tem como contrapartida um valor simbólico refletindo assim o comprometimento do usuário para a utilização do sistema de saúde.

 

TELEMEDICINA COMO UMA BOA OPORTUNIDADE DE ACESSO À SAÚDE E REDUÇÃO DE CUSTOS

O uso de telemedicina não é novidade em Portugal. Há alguns anos ele é utilizado com uma forte aderência da população.

No gráfico abaixo, temos dados que evidenciam o crescimento da utilização desta tecnologia desde 2017. Como não é possível ainda finalizar os dados de 2020, não podemos apresentá-los, mas não existe dúvida que eles serão os maiores da história.

Ao analisar estes dados de imediato podemos refletir sobre o universo de possibilidades e oportunidades de empreender em um segmento que estamos apenas iniciando uso da tecnologia, mas que de alguma forma já conta com certa maturidade por parte dos consumidores.

Uma recente startup que disponibiliza atendimentos terapêuticos oferecidos por psicólogos e psicanalistas em Portugal viu seu número de usuários multiplicar por cinco vezes em meio às necessidades provenientes do momento que vivemos.

Com uma base já aderente ao uso da tecnologia fica interessante pensar os modelos de negócios possíveis em um universo amplo como a telemedicina.

Lendo este artigo, sei que muitos conseguem imediatamente pensar que poderiam ter sucesso em uma empreitada em Portugal. Vale a pena ler o artigo “Seu produto ou serviço tem mercado em Portugal?” e validar se seu modelo de negócio tem fit com o mercado português.

 

TELEMEDICINA COMO OPORTUNIDADE DE EMPREENDER EM PORTUGAL

Há algum tempo nos debruçamos a entender e estudar uma boa quantidade de oportunidades em setores dos mais diversos possível em Portugal. O segmento de saúde, por exemplo, é objeto dos nossos estudos há pelo menos dois anos.

Em 2019, tivemos em nossa missão para o Web Summit uma vertical de visitas e estudos específico desse setor. Liderada pelo médico brasileiro, Dr. Jefferson Gomes Fernandes, conseguimos levar mais de 30 interessados no tema. Nós também apoiamos como parceiros, o Global Summit, que é um dos maiores eventos sobre telemedicina do mundo. Para saber mais sobre este evento, clique aqui.

Empreender em Portugal no segmento de telemedicina pode ser sim uma grande oportunidade. Em nossos estudos os cenários apresentados por esse setor tendo em vista o comportamento das pessoas e as tendências já evidenciadas, constroem o que chamamos de voo perfeito.

 

CENÁRIOS RELEVANTES PARA FUNDAMENTAR AS OPORTUNIDADES EM TELEMEDICINA

Gostaria de relacionar algumas informações para fundamentar o que estou apresentando neste artigo. Lançando para você luzes das oportunidades existentes e convidando os interessados a entrarem em contato conosco. Vamos a elas:

  • Uma delas é que as seguradoras privadas já dispõem do recurso de telemedicina como apoio aos seus segurados. Mas reside aqui ainda pouca oferta de opções para os serviços prestados.
  • A grande redução de custo imposta pelos serviços de telemedicina aumenta a eficiência dos gastos em saúde abrindo oportunidades para novos investimentos.
  • Uma empresa instalada em Portugal tem suas chances elevadas para angariar novos clientes ao redor do mundo.
  • O envelhecimento da população ao redor do mundo, mas em especial na Europa demonstra as oportunidades de expansão desse segmento. Quem mais utiliza estes serviços são as pessoas com maior idade.
  • As altas taxas de dispositivos móveis na população facilitam a aderência de tecnologias de primeira necessidade como as soluções em telemedicina.
  • O surgimento de doenças crônicas é uma preocupação global que pressiona os recursos de saúde. Telehomecare é uma maneira inovadora de prestar assistência, monitorar um paciente e fornecer informações.
  • A monitorização permite a identificação precoce da doença, portanto, há a prevenção de condições crônicas. Espera-se que o Telehomecare seja o segmento de crescimento mais rápido nos próximos anos.

 

EMPREENDER EM PORTUGAL: O SEGMENTO DE SAÚDE NÃO É PARA PRINCIPIANTES

Empreender em Portugal no segmento de saúde não é para marinheiros de primeira viagem. Em um segmento extremamente complexo com desdobramentos em caso de erros que podem resultar em uma fatalidade, não podemos imaginar que as oportunidades que estamos discutindo neste artigo são para aqueles que desejam empreender em Portugal, mas não tem experiência em saúde.

Um empreendimento por si só já é complexo. Empreender em outro país então, é mais complexo ainda. Em nossa experiência na Atlantic Hub acreditamos que a base para que uma boa oportunidade tenha êxito em Portugal nasce de trilhar o caminho correto.

Recentemente, publicamos um artigo sobre o que chamamos dos pilares de sucesso para empreender em Portugal. Recomendo a leitura e as reflexões que fazemos nesse artigo.

Caso você queira aprofundar o que explanamos por aqui, entre em contato conosco e vamos com certeza entender se existe ou não uma oportunidade em seus planos e projetos.

Forte abraço.

 

SOBRE O AUTOR:

Benício Filho.

Formado em eletrônica, graduado em Teologia pela PUC SP, com MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios, pós-graduado em Vendas pelo Instituto Venda Mais, Mestrando pela UNIFESP em Neurologia Oftalmológica na área de Empreendedorismo e pós-graduado em Psicanálise pelo Instituto Kadmon de Psicanálise.

Atua no mercado de tecnologia desde 1998. Fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, Cofundador dá Palestras & Conteúdo, Sócio da Core Angels (Fundo de Investimento Internacional para Startups), Conexão Europa e da Atlantic Hub (Empresa de Internacionalização de Negócios em Portugal).

Atua também como Mentor e Investidor Anjo de inúmeras Startups (onde possui cerca de 30 Startups em seu Portfólio), além de participar de programas de aceleração como SEBRAE Capital Empreendedor, SEBRAE Like a Boss, Inovativa (Governo Federal) entre outros.

Palestrando desde 2016 sobre temas como Cultura de Inovação, Cultura de Startups, Liderança, Empreendedorismo, Vendas, Espiritualidade e Essência, já esteve presente em mais de 300 eventos (número atualizado em dezembro de 2019). É conselheiro do ITESCS (Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul) bem como em outras empresas e associações. Lançou em dezembro de 2019 o seu primeiro livro “Vidas Ressignificadas”.

Construir conhecimento só é possível quando colocamos o aprendizado em prática. O mundo está cansado de teorias que não melhoram a vida das pessoas. Meus artigos são fruto do que vivo, prático e construo.

Share This