ÉTICA, VIRTUDE E FELICIDADE: O CAMINHO ARISTOTÉLICO PARA O DESENVOLVIMENTO DA PESSOA HUMANA

O que dizer sobre virtude, ética e felicidade? Refletir sobre o que realmente vale a pena na vida deveria ser uma das premissas ao acordar pela manhã. Bem, assim como eu, você deve conhecer uma boa quantidade de pessoas que não parecem viver por algum sentido. Elas apenas acordam, comem, caminham ou não nem dormem.

Não estou aqui para julgar ou avaliar os outros, cabe sim a reflexão sobre este tema, pois quem pode estar vivendo uma vida sem sentido somos nós mesmos. Escrevo com frequência sobre temas que incomodam a mim. Porém, como não poderia deixar de ser eles são na verdade dores e angústias quase que universais.

O melhor mesmo é que tenho consciência de que apenas por meio do pensar posso construir uma melhor versão minha.

Ao caminhar pelos escritos aristotélicos, fiquei encantado com a jornada dele rumo a felicidade. Ele como bom discípulo de Platão, viverá mais de vinte anos aprendendo, questionando e refletindo com o mestre dele.

Em determinado momento, ele funda com grande bagagem de conhecimento sua própria escola do pensar, o Liceu. Buscando sempre o conhecimento e criando aquilo que seriam conceitos nitidamente de Aristóteles, ele consagrou uma maneira única de sabedoria.

Sobre esta forma de pensar gostaria de refletir com você.

 

A ÉTICA DA VIRTUDE

Aristóteles tinha como forma de ensinar e produzir conhecimento o ato de caminhar. Ao caminhar observasse o mundo e potencializa a troca de conhecimento. Nesse caminhar inicia-se a busca da virtude.

O homem virtuoso é aquele que investiga o mundo. Conhecer a natureza, animais, plantas, estrelas e tudo aquilo que interagimos é fundamental, o básico para a construção do conhecimento.

Na medida que o indivíduo conhece o mundo ele se torna virtuoso. Ser virtuoso para ele é ter uma vida prática e simples. Os bens que você adquire ao longo da vida não deveriam ser algo que o aprisione.

A virtude nasce do homem que conhece o mundo e por meio deste conhecimento, ele cresce enquanto pessoa humana.

A ética aristotélica, inicia-se com o estabelecimento da noção da felicidade. Neste sentido, pode ser considerado uma ética por buscar o que é o bem agir em escala humana, o agir segundo a virtude é o conhecimento adquirido.

Leia também: SERÁ QUE AS MINHAS INTENÇÕES SÃO FORTES PROPULSORAS DAS MINHAS AÇÕES?

 

POR MEIO DA VIDA VIRTUOSA ENCONTRA-SE A FELICIDADE

Vivemos ou apenas respiramos? Viver é ter consciência das escolhas que fazemos e do que experienciamos. Sempre nos é concedido a possibilidade de mudar o rumo das nossas vidas. O desafio que temos é romper com as barreiras e construir uma nova estrada.

No pensamento aristotélico a felicidade (Eudaimonia) só pode ser alcançada por meio da “excelência da alma”. A virtude deve ser a busca constante do ser humano e ela pode ser alcançada através do conhecimento intelectual, da natureza e aperfeiçoada pelo ensino.

Segundo Aristóteles, podemos sim criar o hábito virtuoso. A libertação de uma vida sem virtude, nasce do ato de iniciarmos a busca pelo conhecimento. Essa libertação passa por desvelar o conhecimento e acreditar no caminho que queremos buscar.

A relação existente entre a virtude e a felicidade se dá na prática da virtude que leva o indivíduo a alcançar a felicidade. O homem adquire as virtudes éticas com a prática e a moderação entre elas.

Jamais é possível mudar algo sem que tenhamos conhecimento do que queremos. Mergulhar dentro de si e descobrir por que vivemos é o justo caminho para a busca da felicidade.

A felicidade nasce da vivência prática das virtudes. Se queremos o bem, devemos viver e praticar o bem.

 

SOBRE O AUTOR:

Benício Filho.

Formado em eletrônica, graduado em Teologia pela PUC SP, com MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios, pós-graduado em Vendas pelo Instituto Venda Mais, Mestrando pela UNIFESP em Neurologia Oftalmológica na área de Empreendedorismo e pós-graduado em Psicanálise pelo Instituto Kadmon de Psicanálise.

Atua no mercado de tecnologia desde 1998. Fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, Cofundador dá Palestras & Conteúdo, Sócio da Core Angels (Fundo de Investimento Internacional para Startups), Conexão Europa e da Atlantic Hub (Empresa de Internacionalização de Negócios em Portugal).

Atua também como Mentor e Investidor Anjo de inúmeras Startups (onde possui cerca de 30 Startups em seu Portfólio), além de participar de programas de aceleração como SEBRAE Capital Empreendedor, SEBRAE Like a Boss, Inovativa (Governo Federal) entre outros.

Palestrando desde 2016 sobre temas como Cultura de Inovação, Cultura de Startups, Liderança, Empreendedorismo, Vendas, Espiritualidade e Essência, já esteve presente em mais de 300 eventos (número atualizado em dezembro de 2019). É conselheiro do ITESCS (Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul) bem como em outras empresas e associações. Lançou em dezembro de 2019 o seu primeiro livro “Vidas Ressignificadas”.

Construir conhecimento só é possível quando colocamos o aprendizado em prática. O mundo está cansado de teorias que não melhoram a vida das pessoas. Meus artigos são fruto do que vivo, prático e construo.

Share This