CRIMES CIBERNÉTICOS E A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Nos últimos anos, o Brasil testemunhou um aumento alarmante nos crimes cibernéticos, que vão desde fraudes online até ataques de ransomware devastadores. Em meio a essa crescente ameaça, a inteligência artificial (IA) emergiu como uma ferramenta crucial na defesa contra esses ataques, mas também como uma ferramenta para os criminosos.

Como estamos presenciando, a rápida evolução da tecnologia tem proporcionado inúmeras oportunidades para a sociedade, mas também tem sido explorada por indivíduos mal-intencionados. Um exemplo disso é o uso crescente da inteligência artificial (IA) por criminosos para cometer fraudes cibernéticas.

Neste artigo, exploraremos como os criminosos têm se aproveitado da IA para perpetrar uma variedade de fraudes cibernéticas, os métodos empregados e as medidas que podem ser tomadas para mitigar essas ameaças.

Partilho também um caso prático de como o uso errado da IA pode confundir você e levá-lo a tomar decisões nada recomendadas. Vamos ao nosso texto.

A ASCENSÃO DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NO CIBERCRIME

Os avanços significativos na capacidade das máquinas de aprender e se adaptar, graças ao desenvolvimento da inteligência artificial, têm transformado nosso dia a dia. Infelizmente, os criminosos também têm se beneficiado dessas inovações, utilizando algoritmos de IA para aprimorar suas táticas e técnicas de fraude cibernética.

Relaciono abaixo alguns métodos de fraudes cibernéticas impulsionados pela adoção em massa da IA. Apresento algumas delas que já são conhecidas por você, estão tendo novo impulso e ganhando novas faces.

Antes, porém, quero fazer um paralelo da IA aplicada ao crime com o mundo das doenças dissociativas, como, por exemplo, o transtorno de personalidade. Ele é raro, mas quando acometido causa grande dor. Ele em si, aflige a personalidade determinante de um indivíduo, criando outra personalidade que nada tem a ver com a principal. Mas o que isso tem a ver com a IA?

Bem, a IA em sua potencialidade tem a capacidade de transformar uma persona – por exemplo, seu perfil nas redes sociais – em diversas outras como se fosse você. Podemos até dizer que a IA, quando utilizada pelos cibercriminosos, pode construir mil faces a partir da original.

Todo cuidado é válido, mas identificar como isso acontece é essencial. Vamos então a alguns exemplos de como a IA tem sido utilizada para os crimes digitais:

Phishing e Engenharia Social

Os criminosos empregam algoritmos de IA para personalizar mensagens de phishing, tornando-as mais convincentes e difíceis de detectar.

Ataques de Ransomware

Algoritmos de IA são utilizados para identificar e explorar vulnerabilidades em sistemas de segurança, permitindo que os criminosos infectem computadores e redes com malware de resgate.

Fraudes Financeiras

A IA é empregada para analisar grandes volumes de dados financeiros e identificar padrões de comportamento suspeitos, permitindo que os criminosos cometam fraudes com cartões de crédito, roubo de identidade e outros crimes financeiros.

Ataques Dirigidos

Os criminosos usam algoritmos de IA para realizar ataques direcionados a empresas e organizações, explorando informações obtidas através de engenharia social e outras técnicas para maximizar o impacto de suas ações.

UM CASO PRÁTICO DO USO DA IA PARA O CIBERCRIME

Dias atrás, em uma demanda normal de uma das nossas empresas, utilizamos um software com IA para criar um vídeo de divulgação de um evento. Este software é de fácil aquisição, sendo ele americano e de uso por compra de créditos para criação de vídeos.

Subimos um roteiro em texto, compartilhamos um link de uma rede social e gravamos um rápido vídeo com menos de trinta segundos de fala.

Em pouco mais de 20 minutos, tínhamos um vídeo de um minuto com o roteiro pronto, imagem criada e áudio completo. A perfeição foi simplesmente incrível. Partilhamos o vídeo até com a mãe da pessoa em questão e adivinhe? Até ela acreditou que era seu filho no vídeo em questão.

Imagine tal ferramenta nas mãos de cibercriminosos? Bem, isso é muito mais do que possível. Essa é uma das possíveis aplicações da IA no contexto de crimes digitais. Imagine seu pai ou mãe receberem um vídeo seu pedindo resgate?

Não deixe de alinhar com seus parentes e pessoas próximas rotas de validações de possíveis fraudes com você. Não subestime, isso pode ocorrer com qualquer um de nós.

COMO PODEMOS DETECTAR E NOS PREVENIR DE POSSÍVEIS FRAUDES E ATAQUES?

Em primeiro lugar, marque um momento com nosso time de especialistas. Eles poderão ajudá-lo da forma mais adequada e atualizada. Quero lembrar você que uma das maiores dificuldades enfrentadas pelas autoridades e empresas na luta contra as fraudes cibernéticas impulsionadas por IA é a capacidade dos criminosos de evoluir rapidamente e adaptar suas táticas.

Além disso, a complexidade e a sofisticação dos algoritmos de IA utilizados pelos criminosos dificultam a detecção e a mitigação dessas ameaças. Como já dito, chamar um especialista é essencial.

Mas veja algumas medidas que podem ajudar você a mitigar os riscos assim como no caso prático comentei de alinhar com seus amigos e parentes formas de validade contigo caso eles estejam sendo atacados por alguma fraude que envolva você.

Algumas medidas para mitigar as fraudes cibernéticas impulsionadas por IA:

Educação e Conscientização

Investir em programas de educação e conscientização para usuários finais pode ajudar a reduzir o sucesso de ataques de phishing e engenharia social.

Implementação de Medidas de Segurança Avançadas

Utilizar soluções de segurança cibernética avançadas, como sistemas de detecção de intrusos baseados em IA e análise comportamental, pode ajudar a identificar e mitigar ameaças cibernéticas antes que elas causem danos.

Colaboração e Compartilhamento de Informações

A colaboração entre organizações governamentais, empresas e instituições acadêmicas é essencial para compartilhar informações sobre ameaças cibernéticas e desenvolver estratégias eficazes de defesa.

O QUE PODEMOS APRENDER SOBRE A IA E OS CIBERCRIMES?

O uso da inteligência artificial por criminosos para cometer fraudes cibernéticas representa um desafio significativo para a segurança digital em todo o mundo. À medida que os algoritmos de IA se tornam mais sofisticados, os criminosos encontram novas maneiras de explorar essa tecnologia para seus próprios fins maliciosos.

Enquanto isso, as vítimas de tais ataques enfrentam consequências que vão desde perdas financeiras até danos à reputação e violações de privacidade. Para combater eficazmente as fraudes cibernéticas impulsionadas por IA, é necessário adotar uma abordagem holística que engloba múltiplas camadas de defesa.

Isso inclui investir em educação e conscientização para fortalecer a resiliência dos usuários finais contra técnicas de engenharia social e phishing. Além disso, é fundamental implementar medidas de segurança avançadas, como sistemas de detecção de intrusos baseados em IA, análise comportamental e autenticação multifatorial, para identificar e mitigar ameaças em tempo real.

No entanto, reconhecemos que a batalha contra as fraudes cibernéticas não pode ser travada apenas por organizações individuais ou autoridades governamentais. É essencial promover a colaboração e o compartilhamento de informações entre empresas, instituições acadêmicas e agências governamentais para entender melhor as táticas e técnicas dos criminosos cibernéticos e desenvolver estratégias de defesa mais eficazes.

Além disso, à medida que avançamos na era da IA, devemos também considerar as implicações éticas e sociais do seu uso na segurança cibernética. Isso inclui garantir a transparência e a responsabilidade no desenvolvimento e na implementação de algoritmos de IA, bem como proteger os direitos individuais e a privacidade dos usuários.

Em última análise, a luta contra as fraudes cibernéticas impulsionadas por IA é uma batalha em constante evolução que exige uma abordagem multifacetada e adaptativa. Somente através do compromisso contínuo com a inovação, a colaboração e a ética podemos esperar proteger efetivamente nossos sistemas digitais contra os criminosos cibernéticos e garantir um ambiente digital seguro e confiável para todos.

Forte abraço e até o próximo conteúdo.

Leia também: EMPREENDER NA ÁREA DE TECNOLOGIA EM PORTUGAL

SOBRE O AUTOR

BENÍCIO FILHO

Formado em eletrônica, graduado em Teologia pela PUC SP e Filosofia pela Universidade Dom Bosco. Mestre pela Universidade Metodista de São Paulo na área de Educação, MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios. Pós-graduado em Psicanálise pelo Instituto Kadmon de Psicanálise. Atua no mercado de tecnologia desde 1998. Fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, sócio da Core Angels Atlantic (Fundo de Investimento Internacional para Startups). Sócio fundador da Agência Incandescente e sócio fundador da Atlantic Hub e do Conexão Europa Imóveis, ambos em Portugal. Atua como empresário, escritor e pesquisador das áreas de empreendedorismo, mentoring, liderança, inovação e internacionalização. Em dezembro de 2019, lançou o seu primeiro livro “Vidas Ressignificadas”. Em dezembro de 2020 seu segundo “Do Caos ao Recomeço”, e em janeiro de 2022 o último publicado “ Metamorfose Empreendedora”.

Construir conhecimento só é possível quando colocamos o aprendizado em prática. O mundo está cansado de teorias que não melhoram a vida das pessoas. Meus artigos são fruto do que vivo, prático e construo.