O ECLIPSE DA RAZÃO

Antes de pensarmos porque o filósofo inglês Max Horkheimer  (1947) escreveu o livro com o tema o Eclipse da Razão fazendo importantes reflexões sobre a contemporaneidade, vale a pena entendermos o que define a filosofia contemporânea.

Entre as características predominantes da filosofia contemporânea está a maneira de pensar racionalmente. A Idade contemporânea teve seu marco com a Revolução Francesa.

A filosofia contemporânea corresponde a distintas produções filosóficas ocorridas desde meados do século XIX até os tempos atuais. Possuem características bem distintas das filosofias anteriores, questionando a validade do conhecimento, a ideia de verdade e a tradição filosófica.

Em síntese, enquanto a modernidade carrega consigo um grande otimismo em relação à razão, a filosofia contemporânea vai desconfiar profundamente da razão, neste sentido, uma das características da filosofia contemporânea será repensar a nossa racionalidade, ou seja, pensar até onde nós podemos ir com a nossa razão.

Toda a evolução alcançada pelo homem ou mesmo sendo iniciada por ele não trouxe o bem-estar desejado. O que tem se tornado evidente é nossa incapacidade de tornar-se um bem de todas as evoluções conquistadas pelo homem.

O PROGRESSO AMEAÇA ESCURECER NOSSA HUMANIDADE

O desenvolvimento humano tecnológico e científico foi inegável nas últimas décadas. Mas podemos aferir o mesmo desenvolvimento em nossa humanidade?

A percepção que temos é que recrudescemos enquanto seres humanos. As grandes guerras que assistimos são apenas uma das faces da nossa desumanização.

Aos poucos, preocupa nossa incapacidade de perceber o quanto estamos ficando distantes enquanto seres da mesma espécie. Nossa relação com o outro tem se perdido assim como nossa relação com a natureza.

O desprezo pela vida em prol do protagonismo tecnológico ou imperialista, descaracteriza o que somos. Recentemente assistimos outra guerra no Afeganistão chegar ao seu auge com a saída dos americanos.

O ciclo de ações militares, iniciado após os ataques de 11 de setembro por várias nações no mundo no Oriente Médio externam interesses muito distantes dos propagados pelos governos, mídia e agências.

As nações unidas, criadas após as grandes guerras, perderam seu protagonismo e hoje também acabam se tornando mais um agente de interesses individuais.

O que assistimos é um distanciamento dos valores humanos quase que em todos os cantos da terra. Reflito sobre o tema e tendo a acreditar que vivemos realmente um eclipse da razão.

Leia também: UMA FILOSOFIA LATINO-AMERICANA

O ECLIPSE DA RAZÃO: SERÁ QUE AINDA TEMOS TEMPO PARA CONTINUAR NO ESCURO?

Será que ainda temos tempo para continuar no escuro? Reflito sobre isso justamente porque não temos mais tempo. Os desafios enquanto humanidade são imensos.

Em sua obra Sapiens uma breve história da humanidade, o israelense Yuval Noah Harari explicita como nossa evolução tem sido caracterizada pelos avanços tecnológicos e, ao mesmo tempo, pela fragmentação ligada aos interesses de grupos individuais.

Nossos desafios em boa parte criados pela nossa própria ação de degradação dos ambientes e dos mares não mais podem ser resolvidos individualmente por uma nação.

Ou nos unimos, ou teremos consequências enormes podendo inclusive inviabilizar a vida em boa parte da Terra.

Precisamos sair urgentemente do escuro que entramos. As mudanças em nossos comportamentos são exigidas no agora, pois podemos estar diante de um tempo em que não exista mais o futuro.

SOBRE O AUTOR

Benício Filho

Formado em eletrônica, graduado em Teologia pela PUC-SP, com MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios, pós-graduado em Vendas pelo Instituto Venda Mais, Mestrando pela Universidade Metodista de São Paulo na área de Educação e pós-graduado em Psicanálise pelo Instituto Kadmon de Psicanálise. Atualmente está em processo de conclusão do curso de bacharelado em Filosofia pela universidade Salesiana Dom Bosco.

Atua no mercado de tecnologia desde 1998. Fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, Cofundador da Palestras & Conteúdo, sócio da Core Angels (Fundo de Investimento Internacional para Startups), sócio-fundador da Agência Incandescente, sócio-fundador do Conexão Europa e da Atlantic Hub (Empresa de Internacionalização de Negócios em Portugal).

Atua também como Mentor e Investidor Anjo de inúmeras Startups (onde possui cerca de 30 Startups em seu Portfólio). Além de participar de programas de aceleração, como SEBRAE Capital Empreendedor, SEBRAE Like a Boss, Inovativa (Governo Federal) entre outros.

Palestrando desde 2016 sobre temas, como: Cultura de Inovação, Cultura de Startups, Liderança, Empreendedorismo, Vendas, Espiritualidade e Essência. Já esteve presente em mais de 230 eventos (número atualizado em dezembro de 2020). É conselheiro do ITESCS (Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul), bem como em outras empresas e associações. Lançou em dezembro de 2019 o seu primeiro livro “Vidas Ressignificadas” e em dezembro de 2020 “Do Caos ao Recomeço”.

Construir conhecimento só é possível quando colocamos o aprendizado em prática. O mundo está cansado de teorias que não melhoram a vida das pessoas. Meus artigos são fruto do que vivo, prático e construo.

Share This