EXISTE ALGUMA ORDEM NO CAOS?

Tenho escrito há algum tempo em meus artigos como também defendido o tema de cultura de startup como um dos pilares para a nova economia ou mesmo para a transformação digital das empresas. Bem, é fato e você também já está acostumado a ler que para mim o centro desta transformação toda que estamos vivendo é o ser humano. Ele sim tem se transformado. Muito relevante dentro deste contexto também é entender a relação acesso é posse. Oras, para onde caminha este artigo… Vamos lá venha comigo para juntos pensarmos algumas coisas sobre este nosso mundo.

Dias atrás, estive eu em um bloquinho de carnaval em SP. Quando vejo o caos que é aquela multidão seguindo sonhos e gerando uma incrível energia, penso o quanto podemos gerar de recursos financeiros e humanos. Novas formas de criar negócios e empreender apartir deste movimento chamado de economia criativa. Entender a relação das pessoas com o acesso trás para nós uma nova visualização de quase tudo que fazemos e interagimos.

Veja que apartir da criação das mínimas condições de viabilidade, grupos se organizaram, fornecedores começaram a pensar modelos de negócios e grandes empresas enxergaram o ativo que é o carnaval em SP. Segundo dados públicos o carnaval em SP neste modelo de rua, com pouco mais de cinco anos já é o maior do Brasil.

MESMO NO CAOS DO CARNAVAL EXISTE UMA ORDEM MUITO CLARA

Claro que falta infraestrutura em um monte de situações, claro que o poder publico como sempre está atrasado e mais claro ainda para nós é o fato de que quando faz sentido aquela ação na vida deste ser humano tudo é transformado. O carnaval de rua é uma festa do acesso e não da posse. Não se cobra ingresso, não há uma organização muito definida e o que prevalece é a vontade da maioria.

Chamo atenção justamente para o protagonismo deste ser humano neste momento de mundo. O aparente caos deste novo movimento da humanidade nos deixa inseguros afinal é algo novo, algo realmente diferente de tudo, porém, novas e grandes possibilidades se apresentam como oportunidades para nós. Vamos a outro exemplo.

Muitas das relações entre casais foram construídas dentro da lógica da posse. Imagine seus pais ou avos e lembre-se que até pouco tempo atrás eles tinham papeis muito definidos. O homem como provedor de tudo e a mulher como dona de casa. A relação entre eles era a que um possuía o outro.

Na maioria das vezes a mulher era propriedade do homem, ele, porém em muitos casos também era refém de uma situação da qual ser o provedor de tudo o colocava como escravo da família. O que mudou nisso diante deste movimento de mundo que chamo a atenção. Hoje, a grande verdade é que ninguém possuiu mais ninguém. As relações entre as pessoas ou são sinceras quanto ao “acesso” a felicidade ou não se sustentam diante de um sentimento de possessividade.

NÃO EXISTE UM CAOS NO MUNDO MAIS SIM UMA NOVA ORDEM

Quando olho todos estes movimentos e me debruço sobre o ser humano, vejo que não há verdadeiramente um caos sobre o mundo que vivemos, mas sim uma ordem que é nova. Relações de valor, mesmo que para nós em um primeiro momento este novo “valor” pareça algo muito diferente e estranho. Minha sugestão é o reaprender. Não tente olhar mais o mundo com os olhos do que vivemos.

Pare de olhar pelo retrovisor da vida e comece a olhar o que está a sua frente. Tente ver quase tudo que temos presenciado sob o olhar da transformação desta relação nossa com as coisas e com os outros. Entendendo este novo cenário, entenderemos o ser humano que literalmente este renascendo em nosso mundo.

Para concluir, acredito que este movimento é mais leve em relação ao que vivemos. Temos literalmente uma chance de viver em um mundo mais igualitária e feliz. Que os sopros da mudança toquem os seres pensantes deste mundo.

Sobre o autor,

Benício Filho.

Formado em eletrônica, graduado em Teologia pela PUC SP, com MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios, pós graduado em Vendas pelo Instituto Venda Mais, Mestrando pela UNIFESP em Neurologia Oftalmológica na área de Empreendedorismo e pós graduado em Psicanálise pelo Instituto Kadmon de Psicanálise. Atua no mercado de tecnologia desde 1998. Fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, Cofundador da Palestras & Conteúdo, Sócio da Core Angels (Fundo de Investimento Internacional para Startups), Conexão Europa e da Atlantic Hub (Empresa de Internacionalização de Negócios em Portugal), atua também como Mentor e Investidor Anjo de inúmeras Startups (onde possui cerca de 30 Startups em seu Portfólio), além de participar de programas de aceleração como SEBRAE Capital Empreendedor, SEBRAE Like a Boss, Inovativa (Governo Federal) entre outros. Palestrando desde 2016 sobre temas como Cultura de Inovação, Cultura de Startups, Liderança, Empreendedorismo, Vendas, Espiritualidade e Essência, já esteve presente em mais de 300 eventos (número atualizado em dezembro de 2019). É conselheiro do ITESCS (Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul) bem como em outras empresas e associações. Lançou em dezembro de 2019 o seu primeiro livro “Vidas Ressignificadas”.

Construir conhecimento só é possível quando colocamos o aprendizado em prática. O mundo está cansado de teorias que não melhoram a vida das pessoas. Meus artigos são fruto do que vivo, prático e construo.

Share This