COMO PREPARAR A INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS

Quando pensamos em como preparar a internacionalização de empresas sempre nos debruçamos sobre alguns aspectos que não devem ser subestimados. Vou elencá-los abaixo, mas gostaria de convidá-lo ao longo deste artigo a ter em mente que estamos falando de oportunidade e não algo diferente disso.

Os pilares em um processo de internacionalização de empresas passam pelos seguintes estágios:

Primeiro: Compreensão sobre a existência ou não de uma oportunidade real para seu produto ou serviço no mercado pretendido;

Segundo: Construção do planejamento necessário para este projeto de internacionalização de empresa e os recursos envolvidos;

Terceiro: Detalhamento dos desafios do processo;

Quarto: Estruturação do time envolvido com o projeto;

Quinta: Jornada de execução e sua visão de longo prazo inclusive com os agentes locais envolvidos;

Bem, você pode neste momento perguntar de onde nasceu estes cinco passos. Eles nascem da nossa experiência nos últimos cinco anos auxiliando empresários brasileiros nesta jornada.

São milhares de empresários impactados, centenas de estudos feitos e dezenas de projetos concretizados ou em andamento.

Nossa metodologia nasce do que conhecemos bem na prática. Empresários brasileiros estão apoiando suas ações de expansões futuras em projetos de internacionalização. Em alguns setores, já existe claramente a visão de oportunidade de expandir suas fronteiras.

A preparação, planejamento e execução de um bom plano de negócios é fundamental no sucesso deste projeto. Podemos apoiá-lo em todas as fases e convido você a entender melhor cada uma delas.

PRIMEIRO PASSO: COMPREENSÃO SOBRE A EXISTÊNCIA OU NÃO DE UMA OPORTUNIDADE REAL PARA SEU PRODUTO OU SERVIÇO NO MERCADO DESEJADO

Este ponto é de tamanha importância que é o primeiro dos passos. Para que investir tempo (nosso recurso mais escasso) e dinheiro em uma ação que simplesmente não terá futuro?

Peter Drucker, um dos pilares do marketing mundial, certa vez disse em uma das suas obras que “Não há nada tão inútil quanto fazer eficientemente o que não deveria ser feito”.

Quanta sabedoria neste pensamento. Fomos abordados uma centena de vezes por empresas que investem altos volumes financeiros em projetos de internacionalização de empresas que simplesmente jamais poderão ter sucesso justamente porque não existe aderência do produto ou serviço no destino desejado.

O mais triste disso é que tudo isso poderia ser evitado fazendo inicialmente uma análise de diagnóstico de mercado validando ou não a existência da possibilidade de negócio visualizada.

Neste momento, temos que separar emoção de razão. Pragmatismo total para saber se estamos diante de uma possibilidade ou um enorme ralo de recursos financeiros e de tempo.

Como sair desta enrascada? Bem desenvolvemos um diagnóstico sensato que analisa os sete  pilares de sucesso do seu produto ou serviço em Portugal.

Não comece nada no processo de internacionalização de empresas sem antes validar se estamos diante de uma oportunidade ou de um grande problema. Se quiser saber como funciona este diagnóstico que tem o nome de Market Fit, basta ler o material e caso tenha interesse entrar em contato conosco.

SEGUNDO PASSO: CONSTRUÇÃO DO PLANEJAMENTO NECESSÁRIO PARA ESTE PROJETO DE INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS E OS RECURSOS ENVOLVIDOS

Planejar não é o ponto forte dos empresários brasileiros. Pecamos em justamente não ter um bom planejamento, controle de custos e entender plenamente a carga tributária e a margem de lucro.

Não são óbvios estes pontos. Em Portugal, sem um plano de negócios, por exemplo, você não consegue linhas de incentivo e em alguns casos nem abre uma conta corrente.

Falando de internacionalizar uma empresa se faz necessário ainda ter uma visão completa da jornada de investimentos financeiros, humanos e estratégicos.

A definição dos recursos financeiros envolvidos até que a empresa já esteja deixando dinheiro em caixa também é bastante sensível no planejamento.

Em muitos casos, existe uma vontade imensa em internacionalizar o Market Fit, mas não existem recursos financeiros para o projeto. Esse é um ponto muito importante para que não se crie falsas expectativas.

Como estratégia de planejamento o tradicional Business Plan é a ferramenta indicada. Não existe mistério, apenas uma boa dose de disciplina para fazê-lo.

Claro, estamos falando de um projeto de internacionalização de empresas e nosso suporte pode ajudá-lo a vencer as barreiras. Sendo assim, conte conosco.

TERCEIRO PASSO, DETALHAMENTO DOS DESAFIOS DO PROCESSO

Nem todos os desafios podem ser mapeados pelo Business Plan, por você ou por uma consultoria. Mas acredito que boa parte deles podem ser eliminados quando detalhamos o que de verdade está envolvido no processo de internacionalização de empresas.

Um dos desafios que é constantemente ignorado são as diferenças culturais. Elas não são irrelevantes e quando falamos de Portugal são bem grandes, embora em toda nossa metodologia avaliamos que o melhor país do mundo para uma empresa brasileira internacionalizar é Portugal.

O que deve ser percebido até pela nossa experiência é que existe uma jornada lógica que precisa ser feita. Em posse dela e inclusive com o material já levantado pelo Market Fit é possível construir a jornada partindo da sua empresa e mapear os desafios etapa por etapa.

Leia também: OS ERROS MAIS COMUNS NA INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS

QUARTO PASSO: ESTRUTURAÇÃO DO TIME ENVOLVIDO COM O PROJETO

Definir o líder deste projeto que fará sua mudança de vida é muito importante. Culturalmente na Europa faz toda a diferença para o sucesso do projeto ter um dos sócios ou alguém com poder que se mude para Portugal e seja o responsável por esta operação.

Se faz necessário esta definição justamente porque existe uma importante dinâmica nos relacionamentos comerciais em que a presença física em Portugal é exigida. E não se trata de burocracia, mas sim para os europeus uma visão do que está sendo feito em termos de internacionalização de empresas.

Ficando claro que existem planos de fixação no continente as chances aumentam relativamente mais. Sendo planos verdadeiros de fixação, as mensagens enviadas aumentam as chances de sucesso.

Pensando por este lado e se tratando de um projeto de vida, você já combinou com sua família todo este projeto de vida?

QUINTO PASSO: JORNADA DE EXECUÇÃO E SUA VISÃO DE LONGO PRAZO INCLUSIVE COM OS AGENTES LOCAIS ENVOLVIDOS

Planejar é essencial. Mas mesmo que você se dedique colocando uma quantidade considerável de tempo neste processo ele ainda é uma pequena parte da jornada.

A energia necessária para que este projeto saia do papel é gigante. Não subestime o trabalho que você terá. Envolva o máximo possível de pessoas realmente comprometidas com este projeto.

Tenha suporte de uma consultoria para ajudá-lo e comece etapa por etapa construindo sua nova empresa em Portugal.

Uma vez começando a entrada em Portugal, todos os agentes locais envolvidos serão prestadores de serviço que você precisará, bem como associações, redes de negócio e instituições que serão muito importantes no seu dia a dia.

Criamos ao longo dos últimos anos uma rede imensa de parceiros. Será um prazer estar com você nesta jornada.

Planejar é fundamental, mas lembre-se que em Portugal somos estrangeiros, esteja na companhia correta. Marque um momento e vamos juntos para Portugal.

Se quiser conversar comigo, terei o maior prazer em ajudá-lo neste processo.

SOBRE O AUTOR

Benício Filho

Formado em eletrônica, graduado em Teologia pela PUC-SP, com MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios, pós-graduado em Vendas pelo Instituto Venda Mais, Mestrando pela Universidade Metodista de São Paulo na área de Educação e pós-graduado em Psicanálise pelo Instituto Kadmon de Psicanálise. Atualmente está em processo de conclusão do curso de bacharelado em Filosofia pela universidade Salesiana Dom Bosco.

Atua no mercado de tecnologia desde 1998. Fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, Cofundador da Palestras & Conteúdo, sócio da Core Angels (Fundo de Investimento Internacional para Startups), sócio-fundador da Agência Incandescente, sócio-fundador do Conexão Europa e da Atlantic Hub (Empresa de Internacionalização de Negócios em Portugal).

Atua também como Mentor e Investidor Anjo de inúmeras Startups (onde possui cerca de 30 Startups em seu Portfólio). Além de participar de programas de aceleração, como SEBRAE Capital Empreendedor, SEBRAE Like a Boss, Inovativa (Governo Federal) entre outros.

Palestrando desde 2016 sobre temas, como: Cultura de Inovação, Cultura de Startups, Liderança, Empreendedorismo, Vendas, Espiritualidade e Essência. Já esteve presente em mais de 230 eventos (número atualizado em dezembro de 2020). É conselheiro do ITESCS (Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul), bem como em outras empresas e associações. Lançou em dezembro de 2019 o seu primeiro livro “Vidas Ressignificadas” e em dezembro de 2020 “Do Caos ao Recomeço”.

Construir conhecimento só é possível quando colocamos o aprendizado em prática. O mundo está cansado de teorias que não melhoram a vida das pessoas. Meus artigos são fruto do que vivo, prático e construo.