MORANDO EM PORTUGAL

Quando vem à cabeça de um brasileiro que deseja morar em outro país, logo duas opções surgem: Estados Unidos e em seguida Portugal.

Posso dizer que sou neste sentido bem agraciado, pois já tive a oportunidade de morar nos dois países e em outros lugares do mundo.

Nos Estados Unidos, passava férias prolongadas com a família. Vivendo com as crianças a sensação de morar em outro país. Objetivo que a Disney fez parte deste momento, seus encantos e fantasias fizeram também parte da vida dos meus filhos.

Por outro lado, sempre foi na Europa que meu coração esteve conectado. Nossas raízes europeias não devem ser ignoradas.

Apenas de portugueses, são estimados que temos quase a mesma população de descendentes do que a de Portugal.

O número de brasileiros em Portugal aumenta ano a ano e isso tem sido por um lado uma boa oportunidade para o manter seu ritmo de crescimento populacional ou pelo menos estabilizar o decréscimo.

Outros países da Europa, como Espanha (minha descendência direta), Itália, Holanda etc, também percebem o aumento dos brasileiros em suas cidades.

Não vejo isso como um problema, pelo contrário. Muitos brasileiros realmente têm planos de morar na Europa, outros, porém estudam, crescem em conhecimento e voltam para o Brasil. Gerando ainda mais riqueza em nosso próprio país.

Minha conexão com a Europa é antiga. Estive a primeira vez em Portugal com pouco mais de vinte anos. Fazia naquela ocasião uma imersão na Europa.

Mais de 10 países em quarenta dias. Se por um lado isso parecia uma loucura, por outro, fez com que eu entendesse o tamanho do mundo. Essa viagem mudaria por completo minha vida.

Eu retornaria anos mais tarde algumas vezes, principalmente para a Itália. Por mais de uma vez eu aliava estudos, turismo e negócios.

DO TURISMO AOS NEGÓCIOS

O que era apenas turismo, mas que ganhava contornos de estudos acabou sendo fundamentado em negócios.

Já faz seis anos que em Portugal fundamos a Atlantic Hub. Desta empresa, nasceria novamente grandes voos à Europa.

Uma das maiores jornadas para a Europa foi sem dúvida a minha jornada em Santiago de Compostela, mas esse é um capítulo à parte.

Sinceramente nunca fiquei distante de Portugal ou da Europa. Mas os últimos seis anos foram os mais intensos nesta relação.

Das viagens pontuais as missões empresariais acabaram sendo criadas muitas oportunidades e possibilidades. A Atlantic Hub sem dúvida também foi em minha vida um hub de conexões.

As vindas para Portugal de frequentes se tornaram rotineiras. Trinta dias, quarenta dias e aos poucos eu comecei a dividir meu tempo entre o Brasil e Portugal.

Em 2021 fiz algo um pouco diferente. Como a pandemia criou um distanciamento enorme entre nós, resolvi passar uma temporada de três meses em Portugal.

Tem bastante experiência nesta minha estadia. Não resta nenhuma dúvida que este artigo apenas tocará em tantas vivências, mas ele já é um começo destes momentos.

Sobre estas vivências e percepções, quero compartilhar com você meus insights. Mas inicialmente, você já combinou com sua família este projeto?

Morar em outro país é um projeto de vida, não subestime isso. Combine com todos e comece hoje mesmo sua jornada.

A ESCOLHA DA SUA FREGUESIA EM PORTUGAL

São muitas as diferenças entre nós, a começar como eles chamam bairro. Freguesia é a forma correta e essa é uma boa maneira de você começar bem quando pretende ficar um longo tempo em Portugal.

Minha escolha foi em ficar em um local bastante tradicional, Campo de Ourique. Muito próximo ao metrô Rato e da Marquês de Pombal.

Perto de tudo, na verdade, mas com grandes diferenças dos locais tradicionais que já fiquei em Portugal.

Bairro tradicional onde é possível viver a vida cotidiana de Portugal. Moram neste bairro famílias com seus filhos, como não podia deixar de ser, muitas pessoas de terceira idade e sempre alguns estrangeiros.

Tascas (restaurantes tradicionais) são comuns pelas ruas e o mercado municipal de Campo de Ourique reserva uma boa oportunidade de comprar de produtos e ainda tomar uma imperial (chopp) ou comer algo bastante típico.

Caminhar pelo bairro é algo à parte. Ruas largas e estreitas intercalam quadriláteros onde você pode admirar o histórico bem preservado e tocar no moderno em casas de eventos.

Leia também: QUANDO INTERNACIONALIZAR UMA EMPRESA

ACOSTUMAMOS BEM RÁPIDO A VIDA DE VIVER EM ESPAÇOS ABERTOS EM PORTUGAL

Se você que está lendo este artigo é assim como eu, alguém que já morou em grandes cidades do Brasil, sabe que desaprendemos a ocupar os espaços públicos.

Temos medo das praças, ruas ou de caminhar com o celular na mão. Em Portugal, você logo irá perceber que não precisa se preocupar com segurança.

Retomar, então o convívio nestes espaços públicos é algo transformador. Dias atrás, tive um encontro com um dos nossos sócios aqui em um quiosque em uma bela praça ao lado de casa.

Era mais de meia-noite e não estava nem um pouco preocupado com nada. A praça estava cheia, pois, naquela noite fazia um tempo muito agradável.

Para minha surpresa mais pessoas chegavam e alunos de uma universidade de turismo também se aproximavam depois do término das aulas.

Quando fui pegar a derradeira saideira, perguntei até que horas eles ficariam abertos e a resposta me surpreendeu. Eles não fecham antes das duas da manhã.

Tendo vindo tantas vezes para a Europa eu ainda me surpreendo com tanta paz no quesito qualidade de vida. Perdemos muito disso no Brasil, infelizmente.

TENTE VISITAR TASCAS E NÃO RESTAURANTES DOS TURISTAS EM PORTUGAL

Esta é uma dica relevante. Assim como o pequeno dicionário que tem no final deste artigo, reforço meu pedido para que você na medida do possível em sua viagem, tente conhecer restaurantes típicos portugueses.

Um dos exemplos mais extraordinários que tenho é o próprio bacalhau. Comemos no Brasil algo bem diferente daqui. E nas primeiras viagens isso foi algo muito encantador para mim.

Cheguei a escrever um artigo apenas sobre este tema, onde descrevo uma receita típica de Portugal. O famoso Bacalhau à Lagareiro.

As tascas oferecem aquilo que não vemos no cardápio comum. Típica das regiões de Portugal essa é parte essencial da sua viagem. Seja você apreciador de carne, peixes ou vegetariano tem para todos os gostos.

Os pães e doces são um episódio à parte. Inclusive sobre isso eles não brincam em serviço. Em meu bairro deve ter pelo menos cem destes espaços onde posso trabalhar com internet, tomar um bom café e comer algo delicioso.

VISITE A CIDADE E SEUS PONTOS HISTÓRICOS COM OUTROS OLHARES

Com um pouco mais de tempo e sem a correria típica das viagens tradicionais, convido você a visitar alguns lugares especiais por outros olhares.

O primeiro olhar é caminhar mesmo. Ao lado de casa perto da estação Rato da linha amarela tem um famoso museu que, na verdade, é um reservatório de água construído com os preceitos romanos do século XVII.

Os aquedutos inclusive fazem parte da panorâmica deste bairro. Nesta visita que faço caminhando, conheço a história, as interações humanas e muito da cultura local.

Tem tanta coisa para ver e conhecer que apenas com boa energia e olhos atentos você poderá perceber.

Às vezes uma tampa de bueiro ou um poste de luz remonta duzentos anos, ou mais. Fique atento. Olhe e caminhe. Neste ponto, um passeio com guias de rua locais pode fazer você ter outra visão sobre este pequeno país.

Para fechar nosso texto sobre morar em Portugal, segue uma pequena contribuição sobre palavras que vale a pena você ter à mão.

Leia mais: CINCO COISAS QUE APRENDI EM PORTUGAL

DICIONÁRIO BÁSICO DE PORTUGUÊS EM PORTUGAL

Seria ousadia minha, querer organizar um dicionário de português em Portugal. Mas, algumas palavras que com certeza você precisa compreender as diferenças acabam sendo o básico para que não fique em uma situação desconfortável.

Outra diferença com a língua, é que faz a gente passar vergonha de vez em quando, é com relação às palavras. Existem muitas palavras no português de Portugal que no português brasileiro têm significados completamente diferentes.

Pensando nisso, listei algumas com sua respectiva tradução:

  • Água fresca = Água gelada
  • Apelido = Sobrenome
  • Autocarro = Ônibus
  • Autoclismo = Descarga
  • Ao pé do talho = Perto do açougue
  • Azeiteiro = Brega
  • Babá = Ama
  • Bairro = Freguesia
  • Banda desenhada = História em quadrinhos
  • Betinho = Mauricinho
  • Boxer = Cueca
  • Cacete = Pão bisnaga
  • Cadeira = Matéria da universidade
  • Canalhada = Criançada
  • Carrinha = Van
  • Casa de banho = Banheiro
  • Cascata = Cachoeira
  • Chumbar = Reprovar na escola
  • Comboio = Trem
  • Coima = Multa
  • Cueca = Calcinha
  • Desporto = Esporte
  • Durex = Camisinha
  • Ecrã = Tela
  • Estafeta = Office Boy
  • Fato = Terno
  • Fiambre = Presunto
  • Fino ou Imperial = Chopp
  • Fita Colante = Durex
  • Fixe = Legal
  • Frigorífico = Geladeira
  • Gajo/Gaja = Rapaz/Mulher
  • Gelado = Sorvete
  • Giro/Gira = Bonito/Bonita
  • Ginásio = Academia de ginástica
  • Levantar dinheiro = Sacar dinheiro
  • Lima = Limão
  • Limão = Limão-siciliano
  • Lixívia = Água Sanitária
  • Malta = Turma, pessoal
  • Magoar = Machucar
  • Matraquilhos = Pebolim
  • Miúdo = Criança
  • Morada = Endereço
  • Natas – Creme de Leite
  • Palhinha = Canudo
  • Paragem = Parada
  • Passadeira = Faixa de Pedestre
  • Pastelaria = Padaria
  • Pequeno-almoço = Café da manhã
  • Percebi = Entendi
  • Pica no cu = Injeção na bunda
  • Porreiro = Muito legal
  • Porra recheada = Churros
  • Presunto = Presunto de Parma
  • Propina = Mensalidade
  • Puto = Adolescente
  • Rapariga = Menina
  • Rotunda = Rotatória
  • Sandes = Sanduíche
  • Sanita = Vaso sanitário
  • Sumo = Suco
  • Talho = Açougue
  • Telemóvel = Celular
  • Verniz = Esmalte
  • Utente = Paciente

Bem, se a resposta foi sim, venha bater um papo comigo e começarmos este processo.  Agende um momento para conversarmos e juntos discutiremos seu futuro em Portugal.

Forte abraço! 

AUTOR:

BENÍCIO FILHO

Formado em eletrônica, graduado em Teologia pela PUC-SP, com MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios, pós-graduado em Vendas pelo Instituto Venda Mais, Mestrando pela Universidade Metodista de São Paulo na área de Educação e pós-graduado em Psicanálise pelo Instituto Kadmon de Psicanálise. Atualmente está em processo de conclusão do curso de bacharelado em Filosofia pela universidade Salesiana Dom Bosco.

Atua no mercado de tecnologia desde 1998. Fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, Cofundador da Palestras & Conteúdo, sócio da Core Angels (Fundo de Investimento Internacional para Startups), sócio fundador da Agência Incandescente, sócio fundador do Conexão Europa e da Atlantic Hub (Empresa de Internacionalização de Negócios em Portugal).

Atua também como Mentor e Investidor Anjo de inúmeras Startups (onde possui cerca de 30 Startups em seu Portfólio). Além de participar de programas de aceleração, como SEBRAE Capital Empreendedor, SEBRAE Like a Boss, Inovativa (Governo Federal) entre outros.

Palestrando desde 2016 sobre temas, como: Cultura de Inovação, Cultura de Startups, Liderança, Empreendedorismo, Vendas, Espiritualidade e Essência. Já esteve presente em mais de 230 eventos (número atualizado em dezembro de 2020). É conselheiro do ITESCS (Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul), bem como em outras empresas e associações. Lançou em dezembro de 2019 o seu primeiro livro “Vidas Ressignificadas” e em dezembro de 2020 “Do Caos ao Recomeço”.

Construir conhecimento só é possível quando colocamos o aprendizado em prática. O mundo está cansado de teorias que não melhoram a vida das pessoas. Meus artigos são fruto do que vivo, prático e construo.