O RELACIONAMENTO ENTRE SEMÂNTICA E PRAGMÁTICA

Semântica e pragmática estão inter-relacionadas. Logo, a semântica lida com o sentido no nível explícito. Para a pragmática, também concorrem as intenções do falante, que diz além do que diz. 

Assim, a pragmática lida com o sentido no nível implícito. A pragmática analisa a linguagem considerando a influência do contexto comunicacional, extrapolando assim a visão da semântica e da sintaxe. A pragmática realiza o estudo da linguagem do ponto de vista de seus usuários.

Outra posição, muito corrente, ainda que clássica, aponta o contexto como o divisor de águas que separa semântica e pragmática: 

A pragmática mobiliza o contexto em suas explicações, enquanto a semântica não depende do contexto. 

Fica evidente que não existe uma separação entre elas, mas sim uma complementaridade, sendo os dois campos de análise importantes para a compreensão do todo. 

A semântica é importante, pois permite, de muitas formas, aos cientistas e estudiosos relacionar a língua a outras nas quais ela possui importância. Por exemplo, o estudo da forma como a língua é usada é muito importante na psicologia.

Mas jamais poderemos considerar que a semântica tem primazia em relação à pragmática. Ambas caminham, mesmo que em direções diferentes, para a compreensão do contexto em questão. 

O PODER DO CONTEXTO

O contexto é um dos elementos mais importantes que compõem um escrito. Este elemento tem a função essencial de mostrar o sentido presente em um determinado texto, ou seja, ele define a semântica principal da redação.

Segundo a pragmática, o contexto no qual a comunicação está inscrita é essencial para a compreensão do enunciado emitido. Claro que, quanto maior o domínio da linguagem, maior será a capacidade do falante de compreender enunciados implícitos.

O contexto não é o critério definidor do que seja uma análise semântica e uma análise pragmática, uma vez que tanto a pressuposição quanto a implicatura acionam o contexto para suscitar interpretações. O que varia, portanto, é o modo como o enunciado é analisado.

Cabe então ressaltar que compreendendo o contexto, poderemos fazer a análise do que está sendo realmente evidenciado. Como podemos perceber em muitas charges, usando esta forma de expressão como exemplo, muitos significados podem ser extraídos de uma imagem com diferentes contextos. 

Gostou do artigo? Comente, compartilhe e envie uma mensagem para que juntos possamos estudar este e outros assuntos. 

Forte abraço e até o próximo conteúdo.

Leia também: REDUÇÃO FENOMENOLÓGICA E INTENCIONALIDADE

SOBRE O AUTOR

BENÍCIO FILHO

Formado em eletrônica, graduado em Teologia pela PUC SP e Filosofia pela Universidade Dom Bosco. Mestre pela Universidade Metodista de São Paulo na área de Educação, MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios. Pós-graduado em Psicanálise pelo Instituto Kadmon de Psicanálise. Atua no mercado de tecnologia desde 1998. Fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, sócio da Core Angels Atlantic (Fundo de Investimento Internacional para Startups). Sócio fundador da Agência Black Beans e sócio fundador da Atlantic Hub e do Conexão Europa Imóveis ambos em Portugal. Atua como empresário, escritor e pesquisador das áreas de empreendedorismo, mentoring, liderança, inovação e internacionalização. Em dezembro de 2019, lançou o seu primeiro livro “Vidas Ressignificadas”. Em dezembro de 2020 seu segundo “Do Caos ao Recomeço”, e em janeiro de 2022 o último publicado “ Metamorfose Empreendedora”.

Construir conhecimento só é possível quando colocamos o aprendizado em prática. O mundo está cansado de teorias que não melhoram a vida das pessoas. Meus artigos são fruto do que vivo, prático e construo.