O TELEGRAM E AS FAKE NEWS 

Recentemente o Telegram quase teve suas operações suspensas no Brasil pelo STF por ser um dos principais canais de proliferação das Fake News. Depois de ser notificado pela justiça, acabaram adotando novas medidas para reduzir este problema.

Fake news é uma notícia falsa – sendo muito comum o uso da frase em inglês – , é uma forma de imprensa marrom que consiste na distribuição deliberada de desinformação ou boatos via jornal impresso, televisão, rádio ou, ainda, online, como nas mídias sociais.

Este tipo de notícia é escrito e publicado com a intenção de enganar, a fim de se obter ganhos financeiros ou políticos, muitas vezes com manchetes sensacionalistas, exageradas ou evidentemente falsas para chamar a atenção.

O conteúdo intencionalmente enganoso e falso é diferente da sátira ou paródia. Estas notícias, muitas vezes, empregam manchetes atraentes ou inteiramente fabricadas para aumentar o número de leitores, compartilhamento e taxas de clique na Internet.

Neste último caso, é semelhante às manchetes “clickbait”, e se baseia em receitas de publicidade geradas a partir desta atividade, independentemente da veracidade das histórias publicadas.

AS NOTÍCIAS FALSAS OU FAKE NEWS LEVAM MAIS PESSOAS A MORTE DO QUE VOCÊ PODE IMAGINAR

As notícias falsas também prejudicam a cobertura profissional da imprensa e torna mais difícil para os jornalistas cobrir notícias significativas.

O fácil acesso online ao lucro de anúncios online, o aumento da polarização política e da popularidade das mídias sociais, principalmente a linha do tempo do Facebook, têm implicado na propagação de notícias deste gênero, por exemplo. 

A quantidade de sites com notícias falsas anonimamente hospedados e a falta de editores conhecidos também vêm crescendo, porque isso torna difícil processar os autores por calúnia.

A relevância dessas notícias aumentou em uma realidade política “pós-verdade”. Em resposta, os pesquisadores têm estudado o desenvolvimento de uma “vacina” psicológica para ajudar as pessoas a detectar falsas informações.

Além da disseminação de notícias falsas através da mídia, a expressão também define, em um âmbito mais abrangente, a disseminação de boatos pelas mídias sociais, por usuários comuns. 

Algumas vezes, isso pode ter consequências graves, como o notório caso ocorrido em 2014, do linchamento de uma dona de casa na cidade de Guarujá, no litoral do estado de São Paulo, Brasil.

É óbvio como você pode perceber que não é apenas o Telegram que tem sido propagador de notícias falsas, mas ele é, hoje, um dos principais caminhos para elas.

Pensando nisso e tendo sua imagem ligada a esse tema com muita frequência, foram lançadas sete medidas para reduzir a propagação de fake news em sua plataforma. Vamos às medidas que eles adotaram. 

1- ANÁLISE CONTÍNUA DOS 100 CANAIS MAIS POPULARES

Das medidas tomadas para conter a disseminação de notícias falsas, o Telegram inicia com o monitoramento manual diário dos 100 canais mais populares do Brasil,  estes responsáveis por 95% de todas as visualizações de mensagens públicas do mensageiro no país.

“Acreditamos que essa medida será impactante, pois nos permite identificar informações perigosas e deliberadamente falsas no Telegram com mais eficiência”, explicou o aplicativo.

2- DE OLHO NA MÍDIA 

Para complementar, a plataforma também fará um acompanhamento manual diário de todas as principais mídias brasileiras. 

A medida servirá para manter o mensageiro atento ao que falam dele em veículos jornalísticos e redes sociais a fim de identificar discussões públicas quanto à moderação de conteúdo.

3- DENÚNCIA DE MENSAGEM COM INFORMAÇÃO FALSA

Usuários do Telegram poderão marcar mensagens como “potencialmente contendo informações imprecisas”. A ação não tira a mensagem de circulação, mas exibirá um alerta visível para quem ler o envio inclusive se forem encaminhadas para outros grupos.

“Para melhor identificar essas postagens, estamos estabelecendo relações de trabalho com importantes organizações de checagem de fatos no Brasil, como Agência Lupa, Aos Fatos, Boatos.org e outras”, garantiu a plataforma.

Com a medida, o Telegram espera que seja possível marcar publicações específicas como “fake news em potencial” e adicionar links para as fontes corretas de informação, como dessas organizações de verificações de fatos.

4- RESTRIÇÕES PARA AUTORES DE DESINFORMAÇÃO 

Aqueles que forem banidos por espalhar fake news no Telegram terão restrições em postagens públicas.

A medida foi implementada pelo app neste fim de semana e já foi aplicada aos autores de canais previamente identificados pelas autoridades brasileiras, como alguns ligados ao blogueiro Allan dos Santos.

5- TERMOS DE SERVIÇO ATUALIZADOS 

Para documentar as novas medidas, o Telegram lançou um contrato de Termos de Serviço revisado. O documento estará disponível para os usuários na próxima grande atualização do aplicativo, cujo lançamento está previsto para as próximas duas semanas.

6- MODERAÇÃO DE CONTEÚDO REVISADA 

O Telegram iniciou uma revisão preliminar das “leis aplicáveis no Brasil” para ajudar no refinamento das estratégias de moderação de conteúdo. 

A análise, que também se atentou às estratégias de outras empresas de tecnologia (como Meta e Twitter), formou um “plano potencial para ações futuras”, incluindo a capacidade de denunciar publicações como falsas.

7- INFORMAÇÕES VERIFICADAS EM DESTAQUE

No combate direto à desinformação, o Telegram conta agora com mecanismos para promover informações verificadas, especialmente aquelas que podem salvar vidas e melhorar a saúde pública, tais como medidas para conter a covid-19. 

A plataforma poderá enviar um convite para ingressar em um canal oficial verificado para todos os usuários brasileiros.

Gostou do conteúdo? Comente, compartilhe e deixe aqui seu comentário. Forte abraço e nos vemos no próximo artigo. 

Leia também: O REINO MÍTICO DAS FAKE NEWS

SOBRE O AUTOR

BENÍCIO FILHO

Formado em eletrônica, graduado em Teologia pela PUC-SP, com MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios, pós-graduado em Vendas pelo Instituto Venda Mais, Mestrando pela Universidade Metodista de São Paulo na área de Educação e pós-graduado em Psicanálise pelo Instituto Kadmon de Psicanálise. Atualmente está em processo de conclusão do curso de bacharelado em Filosofia pela universidade Salesiana Dom Bosco.

Atua no mercado de tecnologia desde 1998. Fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, Cofundador da Palestras & Conteúdo, sócio da Core Angels (Fundo de Investimento Internacional para Startups), sócio fundador da Agência Incandescente, sócio fundador do Conexão Europa e da Atlantic Hub (Empresa de Internacionalização de Negócios em Portugal).

Atua também como Mentor e Investidor Anjo de inúmeras Startups (onde possui cerca de 30 Startups em seu Portfólio). Além de participar de programas de aceleração, como SEBRAE Capital Empreendedor, SEBRAE Like a Boss, Inovativa (Governo Federal) entre outros.

Palestrando desde 2016 sobre temas, como: Cultura de Inovação, Cultura de Startups, Liderança, Empreendedorismo, Vendas, Espiritualidade e Essência. Já esteve presente em mais de 230 eventos (número atualizado em dezembro de 2020). É conselheiro do ITESCS (Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul), bem como em outras empresas e associações. Lançou em dezembro de 2019 o seu primeiro livro “Vidas Ressignificadas” e em dezembro de 2020 “Do Caos ao Recomeço”.

Construir conhecimento só é possível quando colocamos o aprendizado em prática. O mundo está cansado de teorias que não melhoram a vida das pessoas. Meus artigos são fruto do que vivo, prático e construo.