O BRASIL QUE DESCONHECEMOS – PETAR

Gosto muito do feriado do carnaval e sempre que posso curto as folias de rua que acabaram ficando famosas inclusive na capital paulista onde moro atualmente.

Ao final do carnaval, inicia-se um período que também aprecio demais. Para aqueles que seguem o cristianismo, na quarta-feira de cinzas, a sexta-feira santa, temos o chamado período da Quaresma.

O Tempo da Quaresma é o período do ano litúrgico que antecede a Páscoa cristã, sendo celebrado por algumas igrejas cristãs, dentre as quais a Católica, a Ortodoxa, a Anglicana, a Luterana e algumas denominações Presbiterianas e Reformadas.

A expressão Quaresma é originária do latim, quadragesima dies. A Quaresma é um período de preparação que antecede a Páscoa na tradição cristã.

Neste período, para muitos é tempo de reflexão, jejum e oração. Gosto muito de pensar que temos muito mais a agradecer do que a pedir. Sendo assim, a Quaresma para mim, é um grande período de gratidão.

Mas você deve estar se perguntando, afinal o que tem a Quaresma a ver com o PETAR? Tudo! Escolhi o PETAR semanas atrás para ser meu retiro antes da Quaresma.

Eu desejava estar em um local onde apenas a natureza pudesse ser meu canal de conexão com Deus. Posso afirmar que foi exatamente desta maneira que tudo ocorreu neste carnaval.

Minha companheira, amigos queridos, novos amigos apresentados, muita natureza sendo ela em suas diversas formas e cores, foram nossas companhias para os dias que passamos nas mais belas e incríveis cavernas, cachoeiras e florestas que já percorri.

Não conhecemos nada do Brasil. E tenho um sentimento bom sempre que vou a um lugar em nosso país e vejo como ele é incrível.

Este pedaço que desta vez foi nosso destino é o PETAR. O parque estadual turístico do Alto Ribeira é considerado uma das unidades de conservação mais importantes do mundo. Abriga a maior porção de Mata Atlântica preservada do Brasil e mais de 300 cavernas. É considerado hoje um patrimônio da humanidade, reconhecido pela UNESCO.

A ESTRUTURA DO PETAR IMPRESSIONA

O PETAR possui uma área de 35772,5 hectares ao todo e aproximadamente 36.000 hectares de um dos últimos remanescentes da Mata Atlântica no estado de São Paulo.

Suas montanhas, vales, cachoeiras, rios de águas cristalinas, cavernas, fauna e flora exuberantes tornaram o PETAR um ponto muito importante para o estudo da Mata Atlântica e para o ecoturismo brasileiro.

A presença das cavernas em conjunto com a Mata Atlântica preservada propicia ao visitante conhecer diversos ambientes, passar por alguns obstáculos, tomar banho de cachoeiras fora e dentro de cavernas. Sua grande diversidade de roteiros permite agradar desde os iniciantes até aos veteranos.

O PETAR recebe cerca de 2.600 turistas no verão, e aproximadamente 1.500 no período do inverno. Este turismo é praticado na maioria das vezes por escolas e faculdades, que buscam aumentar o conhecimento de seus alunos.

No PETAR é possível praticar desde ecoturismo, esportes de aventura, como rapel, escalada, ciclismo, e boia cross, observação de fauna e flora, e pesquisa, exploração de cavernas (Espeleo), Cascading (rapel em cachoeiras), Rapel em Abismos à Boia Cross nas águas cristalinas do Rio Betari.

O PETAR possui quatro “Núcleos” para a visitação turística: Núcleo Santana, Núcleo Ouro Grosso, Núcleo Casa de Pedra, Núcleo Caboclos. Os mais frequentados são o Núcleo Santana e o Núcleo Ouro Grosso.

CAVERNAS, CACHOEIRAS E UM GUIA INCRÍVEL

A preparação para viajar ao PETAR começou logo na definição da pousada. Boas pousadas com preparação para as caminhadas e visita às cavernas são abundantes.

Ficamos em uma pousada muito bem localizada, Pousada das Cavernas, em que comida caseira, boa hospedagem e acesso aos núcleos de visitação do parque propiciaram tudo que precisávamos.

O descanso no final do dia com uma incrível refeição e cervejinha relaxava o corpo e alimentava a alma.

Nos três dias de passeios, estivemos acompanhados pelo incrível guia Douglas do Planeta Trilha que bem mais que conhecedor da região, inspira a cada passeio e comentário pelo seu amor ao local.

Respeito pela natureza, respeito pelas tradições e parceria foram marcas diárias do nosso guia.

Cada caverna visitada se transformava em um universo para nós. A incrível beleza dos locais esculpidos pela natureza há milhares de anos inundava nossa imaginação e aos poucos conectava nosso coração à Graça de Deus presente em cada momento.

Mesmo com meu joelho com ligamento rompido, consegui fazer todos os passeios. Olha não é algo simples. Muitas das cavernas exigem que você fique deitado no chão para passar pelas fendas.

Em outras caminhasse na água e em muitos casos mais de dez quilômetros por dia. Boa preparação faz parte da rotina para quem quer visitar o PETAR.

DESCONECTADOS, PERCEBEMOS O OUTRO

Esqueça seu celular e suas redes sociais. Quase não há sinal de internet, o único local onde isso é possível é nas pousadas.

Mas que bom isso! Quando estamos desconectados do mundo digital temos a oportunidade de nos conectarmos ao outro.

E foi desta maneira que nosso grupo inicialmente formado por três casais de amigos recebeu e acolheu mais um casal e nosso guia.

Deste encontro, nasceram novas amizades, fraternidade e cumplicidade. O PETAR tem a magia de estar presente há milhares de anos em sua formação, mas em contínua transformação daqueles que reconhecem o quanto ele é grandioso.

A BELEZA OCULTA DOS PARQUES NATURAIS DO BRASIL

Deus se faz presente quando deixamos ele agir. Assim no PETAR, desconectados do mundo, estive no Carnaval que eu desejava.

Meu retiro espiritual foi completo. Com todos os elementos essenciais da vida presentes em abundância.

Água dos rios, terra da floresta e das cavernas, fogo do sol que aquecia nosso corpo e ar presente como refrigerado em diversos momentos que percorremos trechos das cavernas.

A beleza está à nossa frente nada oculta, mas em muitos momentos temos que nos distanciar da vida rotineira para percebê-la.

Tempo, Amor e Morte é a tríade da Beleza Oculta. Ela está presente para aqueles que compreenderam o ciclo da vida. Apenas vivendo o tempo presente, amando verdadeiramente, entenderemos que a Morte é uma certeza, mas a vida que é percebida vale cada minuto.

Leia também: BELEZA OCULTA – SERÁ QUE SEUS OLHOS ENXERGAM MESMO?

Os Parques Nacionais são um tipo de área protegida legalmente definida no Brasil.

Os primeiros parques foram criados na década de 1930 e outros foram gradualmente adicionados, protegendo tipicamente um monumento natural, como uma cachoeira ou um desfiladeiro próximo a um centro populacional costeiro.

Conhecê-los deveria ser nossa obrigação enquanto brasileiros. Seguem alguns deles que você precisa conhecer antes de morrer.

  • Parque Nacional da Tijuca (RJ)
  • Parque Nacional de Jericoacoara (CE)
  • Parque Nacional do Iguaçu (PR)
  • Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (GO)
  • Parque Nacional São Joaquim (SC)
  • Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses (MA)
  • Parque Nacional de Aparados da Serra (RS)
  • Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha

FAÇA MAIS AVENTURAS, ESTEJA PRESENTE E VIVA O SIMPLES

Acredite, viver experiências na natureza e se desconectar da rotina está muito mais perto do que imaginamos.

Você tem ao seu lado, locais que nunca visitou, parques que nunca caminhou ou ainda lugares que você pode ir caminhando.

Criamos barreiras para viver o novo porque temos medo, não porque ele é distante. Viva mais aventuras, esteja presente no dia a dia e se desconecte do digital sempre que puder.

Viva o simples, o arroz com feijão saboreando o tempero caseiro. Grandes experiências são incríveis, mas quando precisamos delas para perceber o belo ou a Graça, é sinal de que perdemos parte importante da vida.

Que sua Quaresma seja repleta de amor, fraternidade, reflexões e perdão.

Comece perdoando a si próprio e vivendo o dia de hoje como se fosse o último.

Forte abraço.

SOBRE O AUTOR

Benício Filho

Formado em eletrônica, graduado em Teologia pela PUC-SP, com MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios, pós-graduado em Vendas pelo Instituto Venda Mais, Mestrando pela Universidade Metodista de São Paulo na área de Educação e pós-graduado em Psicanálise pelo Instituto Kadmon de Psicanálise. Atualmente está em processo de conclusão do curso de bacharelado em Filosofia pela universidade Salesiana Dom Bosco.

Atua no mercado de tecnologia desde 1998. Fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, Cofundador da Palestras & Conteúdo, sócio da Core Angels (Fundo de Investimento Internacional para Startups), sócio-fundador da Agência Incandescente, sócio-fundador do Conexão Europa e da Atlantic Hub (Empresa de Internacionalização de Negócios em Portugal).

Atua também como Mentor e Investidor Anjo de inúmeras Startups (onde possui cerca de 30 Startups em seu Portfólio). Além de participar de programas de aceleração, como SEBRAE Capital Empreendedor, SEBRAE Like a Boss, Inovativa (Governo Federal) entre outros.

Palestrando desde 2016 sobre temas, como: Cultura de Inovação, Cultura de Startups, Liderança, Empreendedorismo, Vendas, Espiritualidade e Essência. Já esteve presente em mais de 230 eventos (número atualizado em dezembro de 2020). É conselheiro do ITESCS (Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul), bem como em outras empresas e associações. Lançou em dezembro de 2019 o seu primeiro livro “Vidas Ressignificadas” e em dezembro de 2020 “Do Caos ao Recomeço”.

Construir conhecimento só é possível quando colocamos o aprendizado em prática. O mundo está cansado de teorias que não melhoram a vida das pessoas. Meus artigos são fruto do que vivo, prático e construo.

Share This