TECNOLOGIA E A VIDA COTIDIANA

De que forma nos relacionamos com a tecnologia e a vida? Fascínio, Desprezo ou Temor? Bem, posso dizer que minha relação com a tecnologia é intrínseca à minha vida. Embora eu tenha hoje um pouco mais de quarenta anos e respeitando minha idade, não posso dizer que sou um nativo digital.

Sou mesmo da geração que inundada pela transformação tecnológica em todos os segmentos e no cotidiano ou entendia este movimento ou ficava a parte do mundo. Tenho, porém, uma reflexão sobre a tecnologia e a vida. Ou a tecnologia promove a vida ou somos reféns dela.

Minha relação com a tecnologia iniciou-se muito cedo. Logo no segundo grau eu cursava uma formação de técnico em eletrônica, fui apresentado aos primeiros microcomputadores. Eles hoje, parecem mais peças de museu do que máquinas.

Confesso, fiquei mais que encantado. Esse contato foi fundamental para criar em mim um desejo enorme de conhecer mais. Durante a formação técnica com outros dois amigos acabei criando uma empresa para vender os tais computadores as pessoas.

 

TECNOLOGIA E A VIDA: DO FASCÍNIO AO RELACIONAMENTO SÉRIO

Iniciamos então, o que seria meu caso de amor ao longo da vida. Sem nunca ser refém dela, mas acreditando na tecnologia como promotora da vida, literalmente transformei muitas famílias.

Eu vendia o primeiro computador de uma geração. Montava ele nas casas, dava as primeiras informações sobre o uso e apresentada normalmente aos filhos da família aqueles ícones que embora bem primitivos transformariam a Microsoft em uma das maiores empresas do planeta.

Foram muitos anos atuando no mercado doméstico e vendendo para famílias estas máquinas. Eu era um adepto de tudo que existia de novo, adorava estar em sintonia com as novas tecnologias e apresentava aos meus colaboradores uma incrível oportunidade.

Para saber mais sobre minha empresa de tecnologia basta clicar aqui para conhecer a Ravel Tecnologia e para saber mais sobre mim acesse meu site.

 

DA TECNOLOGIA PARA A VIDA E DO PESSOAL AO EMPRESARIAL

Se perguntassem para mim como eu enxergo a tecnologia e a vida, seja na minha vida social, acadêmica, pessoal, profissional ou ainda, como eu avalio o impacto da tecnologia na sociedade e, principalmente, na educação eu não teria dúvida em dizer. A transformação que a tecnologia promoveu seja na minha vida, na sociedade e educação foram profundas.

Sou usuário ativo das tecnologias no dia a dia. Acredito mesmo que quando colocamos a tecnologia como meio, compreendendo que sempre será o ser humano o princípio e o fim podemos ter a tecnologia como aliada e promotora.

Assim como qualquer outra coisa no mundo, também podemos acabar viciados nela. Mas vamos ser bem sinceros, somos seres que adoramos nos viciar em tudo e não é ela a tecnologia a culpada por nossas mazelas emocionais.

Encontrei na tecnologia as ferramentas para criar minha empresa e transformar centenas de milhares de vidas. A ela, sou grato por ter sempre a utilizado como promotora da vida.

 

NA SOCIEDADE E NA EDUCAÇÃO AS TRANSFORMAÇÕES SÃO PROFUNDAS

Na sociedade as transformações são profundas, pois possibilitam vivermos e entendermos que somos apenas uma só espécie, sem barreiras ou distinções. Com a tecnologia e a vida podemos literalmente dizer que somos uma espécie global.

A educação tem hoje um pilar de inclusão muito importante com a tecnologia. Eu mesmo sou fruto desta oportunidade. Mas que fique muito claro, nada irá substituir o contato humano e a possibilidade de troca pessoal.

No uso da tecnologia podemos ter quase tudo, menos a possibilidade do sentir e a criatividade única e exclusiva do ser humano.

Desbravar o desconhecido e ter acesso a tudo em uma tela ou em um clicar, são apenas algumas das possibilidades da tecnologia. Muito mais podemos conquistar sem que isso não nos desconecte do que realmente importa. O encontro com nosso universo interno e a conexão com as pessoas que amamos.

Em minhas formações, sempre busquei ter no contato humano no acesso ao conhecimento. Nos cursos presenciais estava sempre conhecendo novas pessoas e a partir dessas conexões criei novas oportunidades, novos amigos e novas histórias.

Lembro em um curso de MBA na FGV, que em uma sala com quase cinquenta alunos, durante aquele curso com quase três anos de duração eu transformaria aquela formação em um universo de novas possibilidades.

Recentemente, já dentro deste momento histórico que vivemos de pandemia, finalizei uma formação em psicanálise de dois anos sendo eles os últimos seis meses no virtual, apenas porque a tecnologia pode promover isso.

Se colocarmos a tecnologia como promotora da vida ela será uma ferramenta de abundância não de exclusão. A questão não está no que criamos, mas sim aos fins que damos às nossas criações.

 

MEUS FILHOS COMPREENDEM MELHOR O ACESSO À TECNOLOGIA E A VIDA

Logo no começo desse texto comentei que não sou um nativo digital. Aprendi ao longo da vida e com as oportunidades que fui percebendo e criando compreensão e fazer uso da tecnologia.

Meus filhos, porém, eles sim já fazem um uso da tecnologia de uma forma mais inteligente. Filhos de um pai e mãe que conhecem e usam a tecnologia de maneira correta e intensa, eles conseguem fazer proveito do que ela tem de melhor.

Conexão com conteúdo e acesso à materiais interessantes e únicos, abertura das fronteiras do mundo e ainda se relacionar com dezenas de pessoas elevando suas capacidades e aumentando o saber.

É interessante ver que hoje, meus dois meninos já adolescentes, às vezes nos convidam a brincar daquele jogo de tabuleiro (o Ludo King) e por meio das telas do nosso smartphone nos divertimos por um bom tempo. O velho se faz novo diante da conexão afetiva.

Para eles, mais um jogo de desafios que promove o desenvolvimento. Para mim, retorno as minhas sensações da infância. Já para a família, um momento mágico de estar junto, rindo, brincando e fazendo uso da forma que amo a tecnologia. Como promotora da vida!

 

SOBRE O AUTOR

Benício Filho

Formado em eletrônica, graduado em Teologia pela PUC-SP, com MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios, pós-graduado em Vendas pelo Instituto Venda Mais, Mestrando pela Universidade Metodista de São Paulo na área de Educação e pós-graduado em Psicanálise pelo Instituto Kadmon de Psicanálise. Atualmente está em processo de conclusão do curso de bacharelado em Filosofia pela universidade Salesiana Dom Bosco.

Atua no mercado de tecnologia desde 1998. Fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, Cofundador da Palestras & Conteúdo, sócio da Core Angels (Fundo de Investimento Internacional para Startups), sócio-fundador da Agência Incandescente, sócio-fundador do Conexão Europa e da Atlantic Hub (Empresa de Internacionalização de Negócios em Portugal).

Atua também como Mentor e Investidor Anjo de inúmeras Startups (onde possui cerca de 30 Startups em seu Portfólio). Além de participar de programas de aceleração, como SEBRAE Capital Empreendedor, SEBRAE Like a Boss, Inovativa (Governo Federal) entre outros.

Palestrando desde 2016 sobre temas, como: Cultura de Inovação, Cultura de Startups, Liderança, Empreendedorismo, Vendas, Espiritualidade e Essência. Já esteve presente em mais de 230 eventos (número atualizado em dezembro de 2020). É conselheiro do ITESCS (Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul), bem como em outras empresas e associações. Lançou em dezembro de 2019 o seu primeiro livro “Vidas Ressignificadas” e em dezembro de 2020 “Do Caos ao Recomeço”.

Construir conhecimento só é possível quando colocamos o aprendizado em prática. O mundo está cansado de teorias que não melhoram a vida das pessoas. Meus artigos são fruto do que vivo, prático e construo.

Share This