UM POUCO DA MINHA HISTÓRIA COM O UNIVERSO DAS STARTUPS

Sou empresário da área de TI há 20 anos. Cerca de seis anos atrás, motivado pelo ímpeto de diversificar a atuação da empresa, decidi participar de eventos ligados ao tema do empreendedorismo e passei a estudar sobre o assunto. Em um dos muitos eventos em que estive ouvi, pela primeira vez, a palavra Startup. Aquele nome soou estranho e, como uma grande maioria de pessoas, admito que estava cético e com grandes pré-conceitos a respeito.

Um deles, e talvez o maior, era o de que existiam apenas Startups de tecnologia e que, quase invariavelmente, faziam aplicativos.  Bem, lá são vão seis anos e reconheço que eu estava muito errado. Startup não é modismo, e não se restringe à área tecnológica. Startup é um conceito muito bem estruturado e com características próprias. Eu defino uma startup nos quatro pilares abaixo:

  • Resolve um problema real;
  • É composta por um time que se complementa;
  • Tem escalabilidade;
  • Tem boa margem de lucro;

Parece óbvio, porém, a grande maioria das empresas nunca deveria ter existido. Elas são mais do mesmo, não agregam nada e os problemas que elas se propõem a resolver outros resolvem melhor.

Em relação ao time, sócio deve ser alguém que complementa, nunca um amigo ou um parente só por que são próximos. Quando os sócios são pessoas com inteligências complementares, 90% das questões complicadas já foram superadas.

Escalabilidade para uma Startup é sair de 100 clientes em um mês para 300 no segundo e 1.000 no quarto. Como conseguir isso? Modelos escaláveis, altamente tecnológicos.

Uma startup foca 100% em seu core business.

Uma startup que tem como solução um e-commerce não deve se preocupar com a questão logística.

Embora ela seja crucial, quem deve fazê-lo são os especialistas do mercado. Terceirizar, portanto, é um dos pontos fortes de uma startups. Explica-se desta forma como um startup, apesar de faturar muito, tem poucos funcionários.

 

LUCRO NÃO É PECADO!!!

Lucro não é pecado! Quanto mais lucro uma empresa tiver, mais saudável será sua operação. Margens consolidados de lucro líquido garantem a saúde financeira da e tornam possível abrir as portas para o crescimento bem como a expansão dos mercados.

Não há nada de novo em uma startup como você pôde perceber lendo os pontos acima. A grande novidades delas é como elas resolvem o problema e de que forma acontece seu acesso ao mercado. Este é um tema para futuros artigos porém para os curiosos e sedentos por conhecimento, vou deixar abaixo uma referência bibliográfica.

Entender o que é o MVP (Mínimo produto viável) ajuda muito a compreender o universo das startups. As grandes corporações já acordaram para o modelo de startups e hoje correm atrás deste conhecimento para aplicá-lo em sua dinâmica atual. Inclusive, abrindo a mente do caro amigo leitor, em quase todas as áreas podemos aplicar o conceito de startup. Educacional, industrial, tecnológico, internet das coisas, publicitário etc.

E estes são apenas alguns dos setores que já aproveitam este modelo de transformar a realidade caótica em algo lucrativo e prazeroso.

Convido você leitor a aprofundar este tema e, em conjunto comigo, mergulhar neste universo!

Prometi no artigo anterior, sempre dar dois exemplos de Startups interessantes, neste artigo porém, farei sugestão de dois livros.

A Startup enxuta – Eric Ries

A Startup de $100 – Chris Guilebeau

Forte abraço e até o próximo artigo.

 

SOBRE O AUTOR

Benício Filho

Formado em eletrônica, graduado em Teologia pela PUC-SP, com MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios, pós-graduado em Vendas pelo Instituto Venda Mais, Mestrando pela Universidade Metodista de São Paulo na área de Educação e pós-graduado em Psicanálise pelo Instituto Kadmon de Psicanálise. Atualmente está em processo de conclusão do curso de bacharelado em Filosofia pela universidade Salesiana Dom Bosco.

Atua no mercado de tecnologia desde 1998. Fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, Cofundador da Palestras & Conteúdo, sócio da Core Angels (Fundo de Investimento Internacional para Startups), sócio-fundador da Agência Incandescente, sócio-fundador do Conexão Europa e da Atlantic Hub (Empresa de Internacionalização de Negócios em Portugal).

Atua também como Mentor e Investidor Anjo de inúmeras Startups (onde possui cerca de 30 Startups em seu Portfólio). Além de participar de programas de aceleração, como SEBRAE Capital Empreendedor, SEBRAE Like a Boss, Inovativa (Governo Federal) entre outros.

Palestrando desde 2016 sobre temas, como: Cultura de Inovação, Cultura de Startups, Liderança, Empreendedorismo, Vendas, Espiritualidade e Essência. Já esteve presente em mais de 230 eventos (número atualizado em dezembro de 2020). É conselheiro do ITESCS (Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul), bem como em outras empresas e associações. Lançou em dezembro de 2019 o seu primeiro livro “Vidas Ressignificadas” e em dezembro de 2020 “Do Caos ao Recomeço”.

Construir conhecimento só é possível quando colocamos o aprendizado em prática. O mundo está cansado de teorias que não melhoram a vida das pessoas. Meus artigos são fruto do que vivo, prático e construo.