WEB SUMMIT 2022

O Web Summit 2022 foi, sem dúvida, uma edição histórica. As palavras do próprio Paddy Cosgrave, CEO do Web Summit, “Alcançamos uma escala extraordinária este ano. Aumentamos a área do evento em 21 mil metros quadrados e recebemos um número recorde de congressistas, palestrantes, startups e investidores”.

O evento fortaleceu o ambiente de startups dentro do evento e em toda Lisboa, onde inúmeros eventos paralelos aconteceram e a cidade fervilhava de oportunidades de networking.

A cada ano, o Web Summit consolida sua posição como o principal evento de inovação do mundo. A escala global do evento, a amplitude de temas e o encontro de culturas fazem com que esta seja uma oportunidade imensa de networking, aquisição de conhecimento, identificação de tendências e transformação de negócios.

Os números mostram a dimensão, mas nem assim refletem a grandeza das interações e a riqueza de conteúdo que o Web Summit traz:

  • 71.033 participantes de 160 países;
  • 42% do público feminino no evento;
  • 202.386 metros quadrados é a área ocupada pelo evento no Parque das Nações, em Lisboa;
  • 2.296 startups de 94 países se apresentaram nos três dias de evento. Dessas, mais de 70 são brasileiras;
  • Quase 400 startups que se apresentaram foram fundadas por mulheres;
  • 8.478 metros quadrados foi a área dedicada à exposição das startups, um aumento de 57% em relação a 2021;
  • Em 17 palcos e 26 trilhas de conteúdo, se apresentaram 1.050 palestrantes, dos quais 34% são mulheres;
  • 1.081 investidores de 60 países buscaram oportunidades de negócios no evento;
  • Os investidores que estiveram no Web Summit representam 30% de todos os aportes globais em startups em 2022, segundo o PitchBook;
  • O Brasil foi a 3ª maior delegação no evento, atrás apenas do Reino Unido e Alemanha.

Mas o Web Summit é muito mais do que números. Quero apresentar a você cinco megatendências que estarão presentes em nossa vida e você não pode ignorá-las.

GERAÇÃO Z: OS DONOS DA NARRATIVA

A Geração Z, que nasceu aproximadamente entre 1995 e 2010, é a primeira geração nativa digital. De forma geral, dominam as tecnologias e têm urgência e multiplicidade nas suas relações com pessoas, marcas, produtos e serviços.

Costumam viver em um universo que, ao mesmo tempo em que é individual e personalizado, também é coletivo e colaborativo – intermediado pelo smartphone.

Esta geração corresponde a 2,6 bilhões de pessoas, que têm cerca de 30% do poder global de consumo. A expectativa é que, no final desta década, já respondam por metade do poder aquisitivo e sejam a grande força impulsionadora das estratégias de negócios das empresas.

Em 2030, a Geração X será cinquentona e sua sucessora, a Y, estará chegando aos 40. Será, então, a hora e a vez da Geração Z comandar o mundo.

Esta é uma virada no mundo dos negócios. Precisamos estar atentos e alertas em relação a como esta geração consome, compra e usa as plataformas digitais.

Sua empresa precisa entender que esta geração é ela, afinal, que estará no comando.

VIDA DIGITAL E METAVERSO

A vida digital vem deixando de ser uma tendência e se transformando em uma realidade. Para milhões de pessoas, ela é o principal meio de conhecimento do mundo e de relacionamento com as pessoas.

A Geração Z encabeça esse movimento, que é espalhado para toda a população, dos mais velhos aos mais novos.

A vida digital é, acima de tudo, uma vida multitelas: do smartphone para o computador, para a TV, para o tablet, o wearable… e, mais e mais, para dispositivos “invisíveis”, como os comandos de voz e os sensores que tomam decisões automaticamente.

Essa vida digital multitelas migraram para “multividas”: vidas simultaneamente digitais e físicas, híbridas, fluidas e interconectadas.

Experiências digitais e físicas serão vistas como experiências de vida – e a posse ou uso temporário de bens fará tanto sentido na vida “real” quanto dentro de um game.

O metaverso ganhará campo nas mais diversas experiências. Uma realidade virtual que tomará boa parte das experiências de consumo, entretenimento e relações.

IA, ALGORITMOS, BOTS

Uma vida digital é uma vida mediada pela tecnologia. E por ser uma vida híbrida, as fronteiras do uso da tecnologia serão tênues.

Já estamos usando Inteligência Artificial, algoritmos e bots em muitas atividades diárias e isso será exponenciado até o fim desta década.

IA, algoritmos e bots serão a base para a identidade das pessoas em um mundo cada vez mais digitalizado. A possibilidade de hiperpersonalização gerará “eugoritmos” que automatizarão aspectos como alimentação, consumo, trabalho, entretenimento, equilíbrio e até mesmo afeto.

A identidade humana se definirá, cada vez mais, a partir do uso da tecnologia e da interação da Inteligência Artificial, dos algoritmos e dos bots com as pessoas.

CRIPTOMOEDAS

O mundo cripto não é uma moda passageira e sim uma nova forma de desenvolver negócios. Anabolizado pelos tokens e NFTs, o ambiente digital gera uma nova estética e uma criptoestética.

Novos paradigmas e novos valores serão determinantes até mesmo para o valuation das empresas: Negócios valerão não apenas o que o bottom line apresenta, mas também por sua capacidade de gerar impacto social relevante.

SUSTENTABILIDADE REINVENTADA

Para nossa presença no planeta, não existe “plano B”: se o ritmo de devastação continuar, o ser humano não sobreviverá e ainda teremos tempos muito difíceis.

A urgência desse tema se impõe em processos produtivos, na recuperação do meio ambiente e, especialmente, em repensar o consumo.

Dos 3 “Rs” (reduza, reuse e recicle), o reuso tem um papel fundamental. Ao entendermos que o “descarte” de produtos não funciona do ponto de vista planetário, fica claro que é preciso estimular a reutilização dos bens o que gera novas oportunidades no mercado secondhand, que terá um enorme crescimento nos próximos anos.

Mais do que consumo, a sustentabilidade passa a ser um valor incorporado ao mindset da sociedade e, por isso, impulsiona comportamentos, decisões e motivações.

Estas cinco tendências não estão isoladas, todas caminham sobre a coluna vertebral da tecnologia. Estar conectado ao mundo é essencial para que sua empresa esteja em sintonia com tudo que está acontecendo no mundo.

A TECNOLOGIA NÃO PODE SER IGNORADA POR VOCÊ

A tecnologia não é algo distante da vida de nenhum empresário. Mas o Web Summit apresenta a nós ano a ano como ela tem modelado nosso futuro.

Esta foi a sexta edição que participo do Web Summit. Percebo de forma sensível uma guinada no evento lançando luzes sobre a forma que vivemos.

Desde a abertura do Web Summit com a fala da primeira-dama da Ucrânia Olena Zelenska, onde ela apontou a tecnologia como essencial para manter a vida e não como geradora da morte como temos presenciado na guerra que a Rússia deflagrou.

Os desafios para continuarmos vivendo com o desenvolvimento que conseguimos alcançar são enormes, mas jamais tivemos tamanho grau de desenvolvimento econômico, tecnológico e de qualidade de vida.

A tecnologia deve ser ferramenta para que possamos colocar em função do mundo nossa melhor versão.

A Ravel participou do Web Summit e como tem feito ao longo das quase três últimas décadas tem se mantido relevante, estando em sintonia com os avanços globais e levando aos seus clientes o mais moderno e significativo.

Forte abraço e até o próximo artigo.

Leia também: BRASILEIROS NO WEB SUMMIT

SOBRE O AUTOR

BENÍCIO FILHO

Formado em eletrônica, graduado em Teologia pela PUC SP e Filosofia pela Universidade Dom Bosco. Mestre pela Universidade Metodista de São Paulo na área de Educação, MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios. Pós-graduado em Psicanálise pelo Instituto Kadmon de Psicanálise. Atua no mercado de tecnologia desde 1998. Fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, sócio da Core Angels Atlantic (Fundo de Investimento Internacional para Startups). Sócio fundador da Agência Incandescente e sócio fundador da Atlantic Hub e do Conexão Europa Imóveis, ambos em Portugal. Atua como empresário, escritor e pesquisador das áreas de empreendedorismo, mentoring, liderança, inovação e internacionalização. Em dezembro de 2019, lançou o seu primeiro livro “Vidas Ressignificadas”. Em dezembro de 2020 seu segundo “Do Caos ao Recomeço”, e em janeiro de 2022 o último publicado “ Metamorfose Empreendedora”.

Construir conhecimento só é possível quando colocamos o aprendizado em prática. O mundo está cansado de teorias que não melhoram a vida das pessoas. Meus artigos são fruto do que vivo, prático e construo.