AS CINCO MAIORES DIFICULDADES DE EMPREENDER EM PORTUGAL

Muitos brasileiros têm o sonho de morar em Portugal. Além de morar em Portugal, outros têm o sonho de empreender neste país.

Mas será que empreender em Portugal é simples ou tem a mesma dificuldade de empreender no Brasil?

Os últimos oito anos da minha vida foram compreender como é empreender em Portugal.  Fundei, em conjunto com outros sócios brasileiros e portugueses, uma empresa que tem como objetivo auxiliar neste processo de construção de uma empresa em terras lusitanas. 

Entre estadias longas e outras mais curtas desenvolvemos vários produtos que hoje auxiliam tanto o empreendedor brasileiro em fase inicial, validando se existe aderência do produto ou serviço dele neste país bem como estruturando tudo que ele precisa para, efetivamente, começar seu negócio em Portugal.

Aqueles negócios que, em nossa análise, tem aderência ao mercado português, literalmente pegamos pela mão deste empresário e desenvolvemos esta empresa do início ao ponto de ele poder tocar sozinho. 

Dos oito anos de atividade, muito aprendizado ficou evidente e alguns deles impressos em nosso DNA e em nossa vida.  É até engraçado quando ouço determinado negócio que o empresário quer levar pois em muitos casos já fizemos estudos de mercado por mais de uma vez e, já de início, entendemos que não faz sentido levar este negócio para Portugal. 

Apenas o estudo de aderência de mercado que comentei, já fizemos mais de cem estudos. Sendo que desenvolvemos mais de duzentos projetos com empresas brasileiras e levamos para Portugal bem mais de 2.000 empresários brasileiros.

Quero partilhar com vocês neste artigo um pouco desta experiência. Se o tema empreender em Portugal é bom aos seus ouvidos, fique comigo e juntos eu tenho certeza de que aprenderemos mais. 

Antes, porém gostaria de dizer que empreender em Portugal mais se assemelha a uma maratona do que uma corrida de cem metros. O porquê da origem desta analogia irei explicar. 

EMPREENDER EM PORTUGAL É UMA MARATONA, NÃO UMA CORRIDA DE CEM METROS 

Pode ser que este número pareça exagerado, mas nos últimos oito anos, estive em reunião com mais de 3.000 empresários por todo o Brasil com interesses diversos em internacionalizar suas empresas. 

Com a grande maioria, estas reuniões foram presenciais. Veja a enormidade de pessoas interessadas no tema para a quantidade de projetos realmente efetivados. 

O maior filtro quando o assunto é internacionalizar é o alinhamento da relação expectativa x realidade. 

Na maioria dos casos, o empresário quer apenas o cliente ou ele acha que traduzir seu site para o inglês já atende a necessidade de um outro país. 

Começar pela venda é o erro mais comum. Mas esse pensamento é para o empresário que pensa que internacionalizar é uma corrida de cem metros. 

Frases como:

“Vamos logo achar cliente que é isso que eu preciso”

“Tenho certeza de que tem clientes que querem meu produto”

“Um amigo disse que isso aqui em Portugal será incrível”

“Meu preço está imbatível pelo câmbio”

“É só achar cliente” 

Pois bem, isso sempre dá prejuízos para aqueles que insistem desta maneira em internacionalizar. 

Digo que é maratona internacionalizar porque algumas questões precisam ser entendidas e validadas antes de abrir uma empresa em Portugal.

Veja o que é importante você validar antes de saber quais são os erros mais comuns. 

O QUE DEVO VALIDAR ANTES DE INTERNACIONALIZAR  

Preste atenção nos sete itens que ao longo dos anos avaliamos como essenciais para um processo de validação quanto à oportunidade de internacionalizar. 

Tendência

Seu produto ou serviço está alinhado a um comportamento ou é um moda momentânea?

Mercado

Existe mercado consumidor em escala para seu produto ou serviço? Portugal é excelente para as vendas B2B (Entre empresas), e muito pequeno para vendas em B2C (usuários finais). 

Concorrência

Ela diz tudo sobre o mercado. durante os estudos que fizemos, tivemos muitos casos em que os concorrentes estão no vermelho com prejuízo. Ou seja, por que entrar em um mercado que quem está lá está perdendo o jogo? 

Aspectos Jurídicos

No Brasil, temos como parceiro de negócios os contadores. Em Portugal são os advogados. Estar atento aos contratos e regras legais pode ser a diferença entre o sucesso e o fracasso em Portugal.

Opções de financiamento

Muitos negócios para sua expansão em Portugal, fazem isso com dinheiro de fomento. Saber usar tanto este capital como o capital privado é essencial para estar em sintonia com as regras do jogo em Portugal. 

Ecossistema de negócios

Uma empresa de um segmento sozinha não decola em nenhum lugar do mundo. Entender se sua empresa terá parceiros, órgãos de fomento e cadeia de fornecimento é estratégico. Já tivemos casos de empresas que nos procuraram que ao chegar com dois contêineres de produtos em Portugal descobriram que seus produtos não podiam ser transportados por via terrestre naquele país. Imagine o prejuízo.  

Matriz de decisão

Quando todos os dados apresentados aqui estão em uma matriz de decisão, tudo fica mais evidente. Tomar decisões com o coração apenas é a melhor receita para o fracasso. Dados são dados, não subestime o que está sendo apresentado como inviável. 

Agora que percorremos este roteiro de validações, quero apresentar a você os cinco erros mais comuns que empresários aventureiros correm ao estarem sozinhos neste processo. 

SEU PRODUTO OU SERVIÇO FAZ SENTIDO EM PORTUGAL?

Você ficaria assustado com a quantidade de pessoas que nos procuram com os mais variados produtos ou serviços com a esperança de que eles façam sentido fora do Brasil. 

Existem, realmente, produtos e serviços que nasceram para atender nosso país. Este ponto não pode ser ignorado. Mas também existe uma enorme quantidade de oportunidades para produtos ou serviços genuinamente nacionais.

O ponto de partida é entender se alguém de Portugal compraria ou usaria o que você criou. Mas mesmo sendo algo que Portugal tivesse interesse, em muitos casos pelo ineditismo, o preço para tornar isso popular por lá é todo seu.

Um dos exemplos mais clássicos foi o pão de queijo. Ele hoje é popular em Portugal, mas os primeiros que tentaram entrar no mercado, investiram muito dinheiro e depois voltaram para o Brasil.

Tempos depois, tendo sido criado na mente do português o sabor do pão de queijo e compreendido que ele não é consumido como no Brasil, este produto começou a fazer sentido por lá. 

PORTUGAL NÃO É O BRASIL, RESPEITE A CULTURA LOCAL

Este erro não é irrelevante. Ele na verdade deveria estar todo em negrito. Quando falo de cultura, estou falando justamente do que cria ligação entre nós seres humanos.

Nos identificamos com os nossos iguais. Um país em termos de mercado econômico pode ser descrito quanto a questão cultural como uma caixa fechada. 

Algumas culturas têm tamanho isolamento que é quase impossível entrar. Veja que, no Brasil, mesmo as Casas Bahia não conseguiram entrar no Rio Grande do Sul. Fecharam as lojas pois o gaúcho apenas compra de lojas locais.

Outro exemplo é a cerveja AB Inbev de marca Polar. Ela apenas existe no Rio Grande do Sul. Quem quer entrar no mercado de Portugal, precisa entender o que faz sentido para eles. Não o que você acha que eles querem comprar. 

Como superar isso? Estudo de mercado e análise de comportamento. Não existe receita fácil para quem quer internacionalizar. Lembra que disse que este processo é uma maratona?

Mas você não está sozinho, nós podemos ajudar você.

AS RELAÇÕES COMERCIAIS SÃO MUITO DIFERENTES

Imagine você enviar uma proposta comercial e simplesmente ninguém responder nada. E pior que isso, se você ligar para o cliente ele acha ruim por você fazer isso e provavelmente não comprará mais seu produto ou serviço.

Bem, esta é uma das diferenças nas relações comerciais entre brasileiros e portugueses. Eles não suportam venda ativa e nossa agressividade em obter um sim.

Se eles têm interesse no que você está ofertando, procurarão você. 

Vender por redes sociais e whatsapp também praticamente não existe. A venda olho no olho vale para quase tudo em Portugal.

Do café da manhã, da roupa, da pizza ou do carro e do apartamento. 

Entender como ter acesso ao mercado consumidor em Portugal vale para vendas B2C como entre empresas no B2B. Sem um manual de boa conduta, apenas portas fechadas que dificilmente se abrem novamente você terá.

CONHEÇA O SISTEMA DE IMPOSTOS

Nosso sistema tributário é um dos mais complicados do mundo. Neste ponto a simplicidade do IVA que é o imposto único Europeu é uma paz imensa para quem vende no Brasil.

Mas, não se iluda. O sistema deles é mais parecido com nosso lucro real e não com o simples nacional presente em mais de 80% das empresas do Brasil.

No sistema de Portugal, contabilizar custos é essencial. O lucro paga impostos, diferente do Brasil e isso pode deixar sua empresa muito onerosa e até dar prejuízo. 

Você precisa estar bem assessorado para fazer tudo correto, caso contrário em poucos meses já está inadimplente e pagando multas ou perdendo oportunidades por estar negativado. 

ATENDIMENTO PODE SER O SEU DIFERENCIAL

Um dos nossos maiores ativos é justamente nossa energia e alegria. Enquanto brasileiros, nós temos um diferencial enorme no atendimento ao público. 

Muitos empresários brasileiros se preocupam mais com seu produto ou serviço e esquecem que tem em mãos um dos mais competitivos ativos do mercado: nosso carisma.

Portugal, assim como toda a Europa, valoriza isso e somos insistentemente elogiados e muitas vezes preferidos quando o assunto é relacionamento com clientes. 

Não subestime nossa natureza, ela pode mudar o mundo!

Será um prazer ajudá-lo nesta maratona de internacionalização. Um bom começo é fazer um estudo de aderência de mercado. Chamamos ele de Market Fit. Comece hoje mesmo estudando seu mercado conosco e começamos corretamente esta nova fase da sua empresa e da sua vida. Dúvidas sempre existem. Marque um momento comigo e vamos juntos conversar para alinhar os próximos passos.

Acredite, vale a pena!

Forte abraço e até a próxima.

Leia também: OS SETE PILARES DE SUCESSO PARA LEVAR E ABRIR SEU NEGÓCIO EM PORTUGAL

SOBRE O AUTOR

BENÍCIO FILHO

Formado em eletrônica, graduado em Teologia pela PUC SP e Filosofia pela Universidade Dom Bosco. Mestre pela Universidade Metodista de São Paulo na área de Educação, MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios. Pós-graduado em Psicanálise pelo Instituto Kadmon de Psicanálise. Atua no mercado de tecnologia desde 1998. Fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, sócio da Core Angels Atlantic (Fundo de Investimento Internacional para Startups). Sócio fundador da Agência Black Beans e sócio fundador da Atlantic Hub e do Conexão Europa Imóveis ambos em Portugal. Atua como empresário, escritor e pesquisador das áreas de empreendedorismo, mentoring, liderança, inovação e internacionalização. Em dezembro de 2019, lançou o seu primeiro livro “Vidas Ressignificadas”. Em dezembro de 2020 seu segundo “Do Caos ao Recomeço”, e em janeiro de 2022 o último publicado “ Metamorfose Empreendedora”.

Construir conhecimento só é possível quando colocamos o aprendizado em prática. O mundo está cansado de teorias que não melhoram a vida das pessoas. Meus artigos são fruto do que vivo, prático e construo.