ENTRE CÂNIONS, CAFÉ, GRUTAS E A SERRA DA CANASTRA

Quantas vezes alinhamos vida profissional a vida pessoal aproveitando o melhor dos dois mundos? Bem, sei que esse é um desafio constante, mas assim como no filme Na Natureza Selvagem do diretor Sean Penn de 2008, em que o protagonista tem a coragem necessária para mudar a vida dele, em muitos casos não, é mudar tudo, mas sim enxergar melhor o que realmente é importante sem que para isso algo radical precise ser feito.

Amo o que faço e considero que trabalho bastante. Reservo, porém, uma boa quantidade de horas para estudar, ler e escrever. Meus dois filhos ocupam um lugar especial em minha vida. E temos ainda todas as pessoas que amamos que não podemos deixá-las de lado.

Viver feliz e bem é um desafio, porém a solução para isso pode ser mais simples do que você imagina. O primeiro passo que considero muito importante, é definir o que é realmente importante e que você não abre mão.

Feito isso, veja a onde está colocando em grau de importância no dia a dia o que você definiu como importante. Ter consciência disso já um guia para onde você deve caminhar. Tempo é tempo. Ele é o bem mais precioso que temos.

Neste momento do presente artigo você já é um pouquinho mais velho do que era a dois minutos atrás. Faça com consciência o que vale a pena. Você precisa ser movido por razões fortes para não ser levado pela manada.

TRABALHAR DEVE SER ALGO QUE GERA PRAZER

Costumo dizer que não vale a pena fazer algo que nos faça mal. Se você trabalha em um local que não eleva você, saia dele.

Já deixei de fazer um monte de coisas na vida por simplesmente entender que não faziam sentido para mim. Dizer “não” é um exercício mais importante do que dizer sim.

Trabalhar deve ser algo que gere prazer. Dias atrás, fui procurado por um cliente com fortes razões para internacionalizar sua empresa. Entendi sua demanda e meses após desenvolvermos um grande trabalho, surgiu a oportunidade de conhecer sua fazenda de produção de café.

Rapidamente, agendei com ele um tempo para realizar a minha visita na fazenda. Este artigo é fruto dessa viagem que fiz no início do mês de julho de 2021, na região da Serra da Canastra, Minas Gerais.

Quinhentos quilômetros não são problema para quem quer ver o belo. Mas viajar sem explorar uma bela região como as serras mineiras seria um desperdício. Assim, nasceram os três dias mais intensos deste ano de 2021 até este momento.

Entre cânions, fazendas de cafés, grutas incríveis e a única Serra da Canastra surgiu uma das experiências mais marcantes que já vivi.

Venha comigo nesta aventura.

AS FORMAÇÕES ROCHOSAS MAIS CONHECIDAS COMO CÂNIONS MERECEM SUA VISITA

Logo ao chegar nos lagos da hidrelétrica de Furnas, na região de Capitólio, fiquei muito surpreso com a grandeza do lago e a imponência da usina.

Os cânions que foram preservados pela inundação do lago remetem ao nosso passado geológico no qual são visíveis as formações de tantas cadeias rochosas ao redor do mundo.

Data-se a formação encontrada neste local ao tempo que ainda todos os continentes estavam juntos, o que na ciência se chama de Pangeia.

Tais formações apontam rumo ao céu serpenteadas de cachoeiras, rios e lagos. Vida por todo lado, o que nos leva a percorrer muitos quilômetros tirando fotos feito malucos. Cada passo é um cenário incrível.

Como é bela a natureza percebida! Nosso Brasil é incrível e precisamos conhecer cada dia mais. No Parque dos Cânions, você precisa de pelo menos três horas para percorrê-lo e ao final tomar uma bela gelada com uma vista imperdível.

Nos lagos de Furnas um passeio de lancha percorre uma parte interessante do parque com a possibilidade de você conhecer um posto de gasolina inusitado no meio do lago e diversos bares com cervejas artesanais e muito mais.

Leia também: ENTRE LOBISOMENS E OUTRAS AVENTURAS

A ESPIRITUALIDADE DAS GRUTAS DE CAPITÓLIO

Um dos locais mais bacanas para ser visitado é o Roteiro do Sol. Neste parque é possível encontrar algumas cachoeiras incríveis e caminhar por entre o cerrado percebendo sua beleza e resistência.

A água é cristalina e a cada mergulho traz a sensação de frio na mais alta percepção. Ouvir as águas sem que nada esteja perto de você é super possível. O som da água é quebrado apenas pelos pássaros, estes são uma atração à parte.

Muitas espécies estão a todo momento caminhando com o visitante. No poço dourado, temos uma experiência incrível.

Com acesso mais difícil e com água chegando no estômago para poder acessar o ponto mais bonito do poço, todo esforço é recompensado ao chegar na região dos totens.

Diz a lenda que cada um que passa por este local deixa seu totem com pedidos e agradecimentos ao universo.

Água que parece verde e com a ação da luz também muda para o azul, somos completamente envolvidos neste ambiente que tem com certeza o dedo do criador.

Contemplar, ouvir os sons da natureza e se conectar ao divino são as únicas coisas que podemos fazer nestes locais.

Como dizia o sábio filósofo, diante do mistério o silêncio.

O CAFÉ CONDENSA EM SEU SABOR A HISTÓRIA E A NATUREZA

Sou um apaixonado por café e esse no fundo, era o objetivo desta viagem. Conhecer a fazenda de café dos meus amigos clientes.

Que lugar! Fazenda incrível com produção de café gourmet de alta qualidade. Mais de 120 mil pés desta planta que se confunde com a nossa história.

Caminhar por entre as árvores e conhecer todos os estágios da produção foi um dos momentos altos desta aventura.

Sua produção respeitando a floresta, mananciais e simplesmente em função da natureza mostra o quanto devemos respeitar os ciclos.

Ela é a senhora de tudo, precisamos retomar nossa consciência e respeito ao que realmente importa.

O acolhimento deste povo, seu vínculo com a natureza e a grandeza de produzir algo que leva o nome do Brasil para o mundo merece todo o nosso respeito. O agronegócio é o responsável por boa parte da riqueza produzida no Brasil.

Conhecer quem faz e que respeita a natureza é algo que todos nós deveríamos fazer morando em um país como o nosso. Um verdadeiro celeiro do mundo.

SERRA DA CANASTRA: AS BELEZAS DOS PARQUES NACIONAIS

Quando falamos de parques nacionais conseguimos lembrar os parques americanos super explorados em filmes e não lembrar de nenhum parque nacional do Brasil.

Nosso roteiro não poderia deixar de ter um dia dedicado à Serra da Canastra.

Lugar de nascimento de um dos mais importantes rios do Brasil, o rio São Francisco. Embora pequeno e singelo em sua nascente leva suas águas ao nordeste sendo vida a milhões de pessoas em nosso país.

Neste incrível parque é possível conhecer a beleza do cerrado em sua essência, animais incríveis como Lobos Guarás, Tamanduás e Onças são facilmente avistados.

A riqueza da vegetação e sua diversidade é outro show à parte. As sempre vivas encantam e levam sua beleza por todos os lados.

Pássaros, cachoeiras e rios compõem este mosaico único nesta Serra que deveria estar como um dos lugares para você conhecer antes de morrer.

A COMIDA MINEIRA NÃO PODERIA DEIXAR DE ESTAR PRESENTE NESTE RELATO

Experiências à parte nesta jornada foram os momentos de conhecer a comida e as cervejas artesanais. Peixes, linguiças artesanais, carne na lata, queijos diversos e o incrível queijo canastra são apenas algumas das muitas delícias que comemos.

Não pense que apenas a comida tradicional esteve no nosso prato. Incríveis massas com itens regionais estão presentes em restaurantes que nada deixam a perder em São Paulo.

Em especial uma massa com queijo canastra deixou em minha memória um registro que jamais irá se apagar.

Sinceramente, eu achava que conhecia Minas Gerais, mas voltei desta viagem com a sensação de que preciso voltar mais vezes.

Como conciliar prazer verdadeiro com trabalho? Bem, apenas depende de nós, mas não se engane, é necessário coragem e energia para admirar o belo.

Você está preparado para isso?

SOBRE O AUTOR

Benício Filho

Formado em eletrônica, graduado em Teologia pela PUC-SP, com MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios, pós-graduado em Vendas pelo Instituto Venda Mais, Mestrando pela Universidade Metodista de São Paulo na área de Educação e pós-graduado em Psicanálise pelo Instituto Kadmon de Psicanálise. Atualmente está em processo de conclusão do curso de bacharelado em Filosofia pela universidade Salesiana Dom Bosco.

Atua no mercado de tecnologia desde 1998. Fundador do Grupo Ravel de Tecnologia, Cofundador da Palestras & Conteúdo, sócio da Core Angels (Fundo de Investimento Internacional para Startups), sócio-fundador da Agência Incandescente, sócio-fundador do Conexão Europa e da Atlantic Hub (Empresa de Internacionalização de Negócios em Portugal).

Atua também como Mentor e Investidor Anjo de inúmeras Startups (onde possui cerca de 30 Startups em seu Portfólio). Além de participar de programas de aceleração, como SEBRAE Capital Empreendedor, SEBRAE Like a Boss, Inovativa (Governo Federal) entre outros.

Palestrando desde 2016 sobre temas, como: Cultura de Inovação, Cultura de Startups, Liderança, Empreendedorismo, Vendas, Espiritualidade e Essência. Já esteve presente em mais de 230 eventos (número atualizado em dezembro de 2020). É conselheiro do ITESCS (Instituto de Tecnologia de São Caetano do Sul), bem como em outras empresas e associações. Lançou em dezembro de 2019 o seu primeiro livro “Vidas Ressignificadas” e em dezembro de 2020 “Do Caos ao Recomeço”.

Construir conhecimento só é possível quando colocamos o aprendizado em prática. O mundo está cansado de teorias que não melhoram a vida das pessoas. Meus artigos são fruto do que vivo, prático e construo.

Share This